Mercados

Mercados operam mistos com tensão sino-americana e expectativa de vacina

Por Fast Trade
15 julho 2020 - 08:47 | Atualizado em 15 julho 2020 - 09:34
resultados econômicos

A notícia de que uma vacina contra o coronavírus induziu resposta de anticorpos no teste da empresa de biotecnologia Moderna está animando os mercados.

Tanto os índices europeus quanto os futuros norte-americanos de Nova York operam em alta. Em contrapartida, a elevação das tensões entre Estados Unidos e China pode comprometer os ganhos, assim como ocorreu na sessão asiática.

Nos mercados chineses, o Xangai Composto caiu 1,56%. Já o menos abrangente, Shenzhen Composto, recuou 2,07%. Por outro lado, o japonês Nikkei subiu 1,59%, após o Banco Central japonês (BoJ) manter inalterada a sua política monetária, seguido do sul-coreano Kospi (+0,84%).

Em uma troca de represálias, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que vai eliminar a preferência dada ao território de Hong Kong.

Ele ainda comunicou a assinatura de um decreto para encerrar o tratamento econômico especial, mas também o acesso às exportações de tecnologia considerada sensível, que Washington concedia à ex-colônia britânica.

“Hong Kong será tratado da mesma forma que a China continental”, declarou ele. A China, por sua vez, ameaçou adotar represálias contra os EUA, de acordo com o AFP.

Mesmo assim, os futuros do Dow Jones registram alta de 1,86% e os do S&P 500 +1,34%, ambos às 8h37, amparados pela notícia da vacina. Na Europa, o DAX, de Frankfurt, subia 1,75% 8h40 e o FTSE 100, do Reino Unido, avançava +1,91%.

Indicadores econômicos sustentam mercados

A agenda econômica mantém seu protagonismo, indicando sobre como a economia dos mercados globais estão refletindo os impactos da pandemia. No radar doméstico, atenção para as discussões de possíveis novos impostos que possam amparar o novo programa de distribuição de renda do governo, “Renda Brasil’.

Entre as publicações desta quarta-feira (15), a Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulga o IGP-10, indicador que mostrará a inflação de julho.

Nos EUA, o investidor monitora o índice Empire State de atividade industrial de julho, assim como os dados sobre a produção industrial de junho. Atenção ainda para os dados sobre estoque de petróleo, que deve movimentar o mercado da commoditie. A divulgação do Livro Bege também será monitorada.

Por fim, a China divulga seu PIB do segundo trimestre e os dados da produção industrial.


Sobre o autor