Mercados

Mercados internacionais ensaiam recuperação

Por Fast Trade
17 julho 2020 - 08:55 | Atualizado em 17 julho 2020 - 09:39
economia-global

Parte dos índices europeus e a maioria dos futuros dos Estados Unidos sobem na sessão, enquanto os mercados internacionais aguardam a reunião dos líderes da UE.

Pauta do encontro, os líderes discutirão a criação de um fundo de recuperação de 750 bilhões de euros para ajudar os países do bloco.

Ontem (16), o Banco Central Europeu (BCE) decidiu pela manutenção da sua política monetária. Posteriormente, em coletiva virtual, a presidente da instituição, Christine Lagarde disse que a economia da zona do euro começará a se recuperar no segundo trimestre.

Às 8h48 (de Brasília), o FTSE 100, de Londres, subia 0,44%, mas o CAC 40, na França, declinava 0,22%.

Nos Estados Unidos, apesar do agravamento das tensões com a China e da preocupação sobre o avanço do coronavírus, os futuros de Nova York sobem.

No mesmo horário, os futuros do S&P 500 subiam 0,35%, seguido do Dow Jones (+0,24%). Os mercados internacionais são sustentados pelas notícias corporativas, conforme saem os números do segundo trimestre.

Por aqui, o mercado repercute a garantia do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que encaminhará a primeira parte da reforma tributária para o Congresso. No âmbito econômico, o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) registrou inflação de 2,02% na segunda prévia de julho.

Leia também: Recompra de ações, IPO, prévia de resultados e mais

Ásia

Os mercados asiáticos digeriram os indicadores mistos que derrubaram os índices na véspera (16) e fecharam majoritariamente em alta nesta sexta-feira (17).

Apesar do receio de que a recuperação econômica global perca tração, o índice Xangai Composto subiu 0,13% na China continental. Ademais, o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,69%. Ontem, ambos sofreram tombos expressivos de 4,5% e 5,2%, respectivamente.

Em outras partes da Ásia, o Nikkei, de Tóquio, declinou 0,32%, refletindo o fraco desempenho de ações dos setores imobiliário e siderúrgico. Por outro lado, o Hang Seng, de Hong Kong, subiu 0,47%, e o sul-coreano Kospi, de Seul, teve alta de +0,80%.


Sobre o autor