HomeMercados

Mercados globais são destaques no feriado prolongado; PIBs, ADRs e China; saiba mais aqui

Por Pablo Vinicius Souza
24 fevereiro 2020 - 08:37

Sem operações na Bolsa de Valores até às 13h de quarta-feira (26), o cenário econômico dos mercados globais é destaque.

O feriado prolongado não deve tirar do investidor o foco no noticiário, especialmente por causa do movimento dos ADRs brasileiros. A partir desses ativos, será possível ter uma ideia do que pode ocorrer com o mercado brasileiro após essa paralisação, além de situá-lo melhor sobre os mercados globais.

Além disso, a segunda e terça-feira podem ser importantes para mostrar indícios sobre o movimento do dólar, que chegou a superar R$ 4,40 pela primeira vez antes de voltar para R$ 4,38 no pregão da última sexta-feira (21). De acordo com a Bloomberg, o real segue como a pior moeda de 2020.

O Banco Central (BC), por sua vez, continua não demonstrando sinais de que irá impor um teto para a divisa. Ademais, as atuações (caso venham a acontecer) deverão ser pontuais e apenas quando houver um descolamento ou problema de liquidez.

Entre os resultados econômicos, o resultado fiscal de janeiro dividirá o destaque com dados de inflação do IGP-M de fevereiro. A agenda de balanços corporativos segue a calmaria da Bolsa de Valores em virtude do feriado. Chamam a atenção os números do quarto trimestre da Ambev (ABEV3), assim como de Marcopolo (POMO4) e AES Tietê (TIET11).

Mercados globais

Ao contrário do que ocorre no Brasil, os mercados globais continuarão movimentados a partir do pregão desta segunda-feira (24). O coronavírus continua no radar, uma vez que tem aumentado o número de infecções e também mortes em outros países

Embora a epidemia supostamente esteja contida na China, a doença se propaga com intensidade na Coreia do Sul e Japão. Sobre os indicadores dos mercados globais, haverá uma bateria de resultados dos PIBs, o dos Estados Unidos, Alemanha e México.

Assim também, o investidor vai acompanhar com atenção os dados da produção industrial no Japão, mas também o PMI chinês. Esses indicadores podem trazer mais sinais sobre os impactos do coronavírus a nível global.

Por fim, vão discursar o vice-presidente do Federal Reserve, Richard Clarida, e a presidente do Banco Central Europeu, Cristine Lagarde.


Sobre o autor