EconomiaHome

Mercado vê inflação abaixo do centro da meta pelo 4º ano

Por Bruna Santos
30 dezembro 2019 - 09:30
IPCA-15 superar consenso

A inflação deve permanecer abaixo do centro da meta pelo quarto ano consecutivo em 2020, conforme avaliações de economistas consultados pelo Estadão/Broadcast.

Mesmo com a expectativa de aceleração da atividade econômica no País, o nível de ociosidade da economia é propício para a manutenção de um cenário inflacionário comportado para 2020, embora a força dos choques de preços tenha sido observada em 2019. Em 2020, a meta central é de 4%, mas pode oscilar entre o teto de 5,5% e o piso de 2,5%.

Nem mesmo dado surpreendente de alta (1,05%) do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) de dezembro impactou as expectativas do mercado. Fica a expectativa para a publicação da última segunda-feira (30) de 2019.

Houve uma surpresa também no Relatório Trimestral de Inflação (RTI) de dezembro, quando o Banco Central (BC) apresentou expectativa de inflação para 2020 em 3,5% no cenário básico. Nesse sentido, a taxa de juros está projetada entre 4,25% e 4,5% e dólar entre R$ 4,15 e R$ 4,10.

Em seu relatório, o Banco Central reconheceu que a ociosidade da atividade ajuda a segurar a inflação, mas demonstrou receio com os canais de transmissão da política monetária. “O atual grau de estímulo monetário, que atua com defasagens sobre a economia, em um contexto de transformações na intermediação financeira, aumenta a incerteza sobre os canais de transmissão e pode elevar a trajetória da inflação no horizonte relevante para a política monetária”, diz o texto.

Por fim, a autoridade monetária havia revisado as expectativas de crescimento do PIB de 2020, de 1,80% para 2,2%. O dado permanece ainda levemente abaixo da mediana do mercado apurada pelo levantamento Projeções Broadcast, de 2,30%.

Leia mais:

Míssil pode desencadear tensões entre norte-coreanos e norte-americanos; confira destaques

Governo recebe R$ 69,96 bilhões do leilão dos excedentes da cessão onerosa

Governo Central tem déficit primário de R$ 16,5 bi em novembro

Ibovespa recua com realização de lucros, mas fecha a semana em alta de 1,23%


Sobre o autor