Economia

Mercado financeiro mantém projeção para a Selic em 2021 e mais previsões

Por Fast Trade
06 abril 2021 - 07:30 | Atualizado em 06 abril 2021 - 09:47
Banco Central; mercado financeiro

De acordo com o Relatório de Mercado Focus, do Banco Central, o mercado financeiro espera uma Selic a 5% ao ano em 2021. Assim também, os economistas não alteraram suas projeções para a taxa básica da economia de 2022, fixada em 6% ao ano.

+ Derivativos: o guia definitivo para começar a investir

Do mesmo modo, o Boletim Focus indica que o mercado financeiro espera uma Selic a 6,50% em 2023. Por sua vez, a projeção para 2024 declinou de 6,38% para 6,25%, conforme mostrou a publicação na véspera do BC.

Recentemente, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC decidiu elevar a Selic em 0,75%, para 2,75% ao ano. Essa foi a primeira vez que os juros básicos da economia do Brasil subiram em quase seis anos.

Além disso, os economistas consultados pela autoridade monetária mantiveram a previsão para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Assim, o índice oficial de preços deve fechar 2021 em alta de 4,81%, segundo a mediana do mercado financeiro. Já para o próximo ano, a expectativa é que o indicador suba para 3,52%, ante 3,51% na sondagem anterior.

+ Guia completo para obter sucesso nas operações de Day Trade

Vale destacar que a meta de inflação a ser perseguida em 2021 é de 3,75%; em 2022, a meta é de 3,50%. Nesse sentido, há sempre um intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Mais projeções do mercado financeiro

Já o Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 sofreu uma revisão para baixo, de alta de 3,18% para elevação de 3,17%. Essa foi a quinta redução semanal consecutiva.

+ Guia de A a Z de como se tornar um trader!

Além disso, o mercado financeiro também cortou a previsão do PIB para o ano que vem, de alta de 2,34% para 2,33%.

Por fim, o Boletim Focus alterou a projeção para o resultado primário do governo no ano corrente. Conforme o levantamento, a relação entre o déficit primário e o PIB este ano recuou de 3,10% para 3,05%. Para o próximo ano, esse indicador passou de 2,10% para 2,15%.

Leia também: Inflação medida pelo IPC-S foi de 1,00% em março


Sobre o autor