Mercados

Mercado espera volatilidade com aumento do IOF e quedas no exterior

Por TradersClub
17 setembro 2021 - 09:59 | Atualizado em 17 setembro 2021 - 10:00
CSLL

São Paulo, 17 de setembro – O pregão que encerrará a semana antes da decisão de juros do FOMC e do Copom, comitês decisórios de juros dos Estados Unidos e do Brasil, inspira cautela ao investidor. Já é esperada volatilidade com o vencimento de opções sobre ações, somada ao anúncio do aumento do IOF, para custear o novo Bolsa Família, e as quedas flagradas no exterior.

LEIA: Quais são os tipos de BDRs e por que vale a pena investir?

Por decreto, o governo do presidente Jair Bolsonaro determinou ontem aumentos de 1,5% para 2,04% para pessoas jurídicas e de 3% para 4,08% para pessoas físicas, válidos até o fim do ano, nas alíquotas anualizadas do imposto sobre operações de crédito.

Como o mercado encara o aumento do IOF

O aumento vem em cenário de demora para achar solução para os precatórios, dívidas judiciais do governo, que abririam no Teto de Gastos o espaço necessário para aumentar o programa social. Com a inflação em alta e novas pesquisas apontando reprovação maior do presidente Jair Bolsonaro, o Auxílio Brasil se tornou prioridade para o governo.

Além de solução dos precatórios, a gestão depende da aprovação da Reforma do Imposto de Renda para manter o programa em 2022.

Jason Vieira, da Infinity Asset, diz que o aumento do imposto “certamente é um choque para setores dependentes do crédito, mas mostra aderência do governo à Lei de Responsabilidade Fiscal”. Alfredo Menezes, da Armor Capital, entende que o mercado deve punir as ações de bancos, mas que o aumento do IOF pode ser ‘menos pior’ que um aumento de igual proporção na Selic para controle do cenário inflacionário.

De olho no exterior

A cautela predomina ainda à espera da decisão, na próxima quarta-feira, do Federal Reserve, banco central americano, sobre o plano para a retirada de estímulos no país. A expectativa é de mais clareza por parte da autoridade monetária dos EUA. A próxima semana também

precede eleições bastante incertas na Alemanha, uma das principais economias do mundo.

As bolsas europeias, os futuros americanos e as ações de países emergentes operam majoritariamente em terreno negativo. As cotações do minério de ferro seguiram derretendo na China.

Bolsa de valores

De olho no vencimento das opções sobre ações das séries I e U, o Ibovespa futuro deverá abrir com viés de queda. O fundo de índice brasileiro EWZ perde 0,12% no pré-mercado de Nova York, com ADRs da Petrobras caindo 1,28% e Vale em queda de 0,72%, após anunciar dividendos de R$8,108 e a revisão de recomendação, pela UBS, de compra para venda.

Câmbio com o aumento do IOF

Com o mercado de câmbio estável pelo mundo, o dólar futuro aqui deve abrir em alta reagindo à tensão local e ao aumento do custo do crédito após a elevação do IOF.

LEIA: Como funciona a ordem de compra no mercado financeiro? Entenda seus tipos!

Como ficarão os juros com aumento do IOF

De olho na decisão do Comitê de Política Monetária do Banco Central na próxima semana, os juros deverão hoje seguir o câmbio. Também serão divulgados dados de carga e afluência de chuvas pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico, que pode mexer com a percepção de risco inflacionário trazida pela crise hídrica.


Sobre o autor