EmpresasHome

Lucro recorrente da B3 cresce 21% no 4º tri, impulsionado por escalada do mercado acionário

Por Bruna Santos
06 março 2020 - 09:11
ações da B3; B3SA3

O lucro recorrente da B3 (B3SA) findou o 4T19 em R$ 864,5 milhões, avanço de 20,9% sobre um ano antes.

De acordo com a análise feita pela Reuters, a escalada das ações brasileiras tem um grande impacto sobre esse resultado.

É importante considerar também o valor gigante de ofertas de ações como impulso para as receitas da B3 no período.

O mercado acionário doméstico, segmento que gera quase metade das receitas da empresa, teve um boom no período.

Para se ter uma ideia, apenas as ofertas de ações (IPOs e follow-ons) somaram mais de R$ 32 bilhões.

Ademais, o valor bursátil das companhias listadas na B3 ao final do ano 2019 havia subido 38% em 12 meses.

Assim, a receita líquida de outubro a dezembro somou 1,58 bilhão de reais, um aumento de 20,2% ano a ano.

Em contrapartida, o lucro recorrente da B3 ficou aquém das previsões de analistas consultados pela Refinitiv, de R$ 948,8 milhões.

Conforme a publicação da operadora brasileira de infraestrutura de mercado, seu resultado operacional medido pelo Ebitda também foi positivo.

Na medição do lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização, o saldo ajustado foi de R$ 1,18 bilhão (+29,1%).

A previsão dos analistas era de R$ 1,145 bilhão. Em termos líquidos, o lucro cresceu 25,7%, totalizando R$ 732,9 milhões.

Outro indicador que apresentou avanço no período foram as receitas financeiras da B3, que contabilizaram R$ 134,3 milhões.

Essa alta de 10% é explicada principalmente pelo aumento do caixa médio, de acordo com o press release divulgado.

Por fim, ainda que tenha sido registrado um aumento de 15% nas despesas ajustadas, a R$ 311,8 milhões, refletindo em boa parte os gastos com pessoal, as despesas da B3 ficaram estáveis em R$ 656,6 milhões.


Sobre o autor