Empresas

Lucro líquido atribuído aos acionistas da B3 (B3SA3) totalizou R$ 4,2 bi em 2020

Por Fast Trade
05 março 2021 - 07:00 | Atualizado em 05 março 2021 - 07:35
ações da B3; B3SA3

A temporada de balanços corporativos ganhou tração na quinta-feira (4), com destaque para os números da B3 (B3SA3).

“2020 vai entrar para a história como um dos períodos mais desafiadores que já atravessamos”, disse a Bolsa de Valores brasileira. De acordo com a Companhia, seu lucro líquido atribuído aos acionistas atingiu R$ 4.152,3 milhões no ano marcado pela pandemia.

O montante corresponde a um salto de  53,0%, em decorrência do desempenho operacional positivo da B3 em todas as linhas de negócio. Nesse sentido, excetua-se a infraestrutura para financiamento, conforme as demonstrações financeiras da empresa.

Vale destacar ainda que o lucro líquido atribuído aos acionistas da B3 foi impulsionado pela alta de 49,6% na comparação anual do quarto trimestre. Outro ponto de destaque é que o lucro consolidado do ano passado foi impulsionado pela alta de 49,7% na comparação anual do quarto trimestre.

Assim sendo, a operadora da Bolsa brasileira reportou um lucro líquido de R$ 1,097 bilhão. Ao mesmo tempo, o lucro líquido recorrente aumentou 34,1%, para R$ 1,159 bilhão.

Entre os drivers que catapultaram o resultado está a exclusão da amortização de intangível relacionado à combinação com a Cetip.

Além disso, o impacto não-recorrente da reversão de provisões relacionadas a disputas legais com a Vega também contribuiu para a alta. Ademais, a perda não-recorrente com o impairment relacionado à BLKO elevou o saldo do indicador.

Receita e proventos pagos

A receita líquida da operadora da Bolsa brasileira disparou 44,4% na passagem do 4T19 para o 4T20, para R$ 2,280.

No ano, a receita da companhia somou R$ 9,3 bilhões (+41,83% ante os R$ 6,6 bilhões computados no ano imediatamente anterior).

Segundo o release da empresa, os altos volumes negociados em suas plataformas no ano passado “contribuíram com um sólido desempenho financeiro”. Do mesmo modo, favoreceram a geração de caixa robusta, que totalizou R$ 6,1 bilhões no ano passado.

Em contrapartida, suas receitas financeiras tombaram 48,3%, para R$ 69,4 milhões. Acima de tudo, o declínio foi pressionado pela redução da taxa de juros no período. 

Outro destaque da B3 foi o montante distribuído aos seus acionistas por meio dos proventos no exercício de 2020.

No total, a B3 pagou R$ 6,2 bilhões, sendo R$ 1,2 bilhões em juros sobre o capital próprio, R$ 4,1 bilhões sob forma de dividendos, e, por fim, R$ 0,9 bilhões em recompras de ações, segundo a Bolsa de Valores.

Outros resultados financeiros da B3

As despesas financeiras da B3 totalizaram R$ 302,4 milhões em 2020, -28,4% A/A, em razão do global bond em julho de 2020.

Assim também, o resultado financeiro da operadora foi impactado pelos efeitos da variação cambial sobre os empréstimos em moeda estrangeira.

Já o impacto da variação cambial sobre o investimento no exterior que a Companhia possui foi neutralizado pela linha de imposto de renda e contribuição social (estrutura de hedge), conforme o relatório da Bolsa de Valores.

Acesse a íntegra do relatório da administração da B3 e continue acompanhando o portal Fast Trade para conferir a performance das principais empresas do mercado de capitais.

Antes de mais nada, leia também:

Senado aprova em 2º turno a PEC Emergencial e mantém gatilhos fiscais

Lucro da Taesa (TAEE11) disparou 194,7% no 4T20; empresa vai pagar dividendos


Sobre o autor