EmpresasHome

Lucro do Magazine Luiza cai no 4º trimestre, mas avança 54,3% em 2019

Por Pablo Vinicius Souza
17 fevereiro 2020 - 12:40
Acionistas do Magazine Luiza

O Magazine Luiza (MGLU3) divulgou os resultados corporativos do quarto trimestre de 2019, apresentando um lucro líquido de R$168 milhões.

Esse valor equivale a uma queda de 11,4% em relação ao mesmo período do ano anterior, evidenciando um desempenho mais fraco influenciado pelo aumento substancial nas despesas operacionais e financeiras.

Apesar disso, no acumulado de 2019, o lucro líquido registrado foi de R$921,8 milhões, avançando 54,3% em comparação ao exercício anterior.

De outubro a dezembro do ano passado, a receita líquida da varejista subiu 38,5%, alcançando o montante de R$6,38 bilhões, com o lucro bruto subindo 40,8% em relação ao mesmo período de 2018.

Houve um crescimento de 51,3% nas vendas totais apuradas no trimestre, para R$8,99 bilhões, e o lucro antes dos juros, impostos, depreciação, amortização (Ebitda) saltou 41,2%, somando R$499,1 milhões.

A receita de vendas aumentou cerca de 39% no período, porém, as despesas operacionais cresceram 41%, as despesas com vendas saltaram 47% e as despesas gerais e administrativas subiram 12%, o que impactou na diminuição do resultado.

O resultado financeiro ficou negativo em R$188 milhões, mais do que o dobro do valor divulgado um ano antes, e as despesas financeiras dispararam 67%, atingindo R$210,9 milhões.

Desconsiderando os efeitos da IFRS-16 e de outras provisões para perdas não recorrentes, as despesas operacionais subiram 51% no quarto trimestre, para R$1,45 bilhão ou 16% das vendas globais.

As vendas efetuadas pelas plataformas online anotaram crescimento acentuado no quarto trimestre de 2019, saltando 92,8%, para R$4,3 bilhões, e fechando o ano com um aumento de 76%.

Segundo a gigante do varejo, o avanço do comércio online foi beneficiado pelo crescimento do número de vendedores no marketplace e às entregas mais rápidas.

O Conselho de Administração do Magazine aprovou a distribuição de R$290,9 milhões em dividendos, referente a 31,56% do lucro líquido de 2019.

Além disso, no ano passado, a companhia autorizou o pagamento de R$170 milhões em juros sobre o capital próprio, o que totaliza uma remuneração de R$460,9 milhões aos acionistas, correspondendo a 50% do lucro líquido.


Sobre o autor