EmpresasHome

Lucro da CCR contrai no 3T19 e contabiliza R$ 352,1 milhões

Por Bruna Santos
29 outubro 2019 - 10:36
CCRO3

A CCR (CCRO3), uma das maiores empresas de concessões de infraestrutura da América Latina, lucrou R$ 352,1 milhões no 3T19.

Embora a empresa tenha reportado lucro, houve um decréscimo de 3,0% frente ao mesmo período do ano anterior.

Seu lucro líquido consolidado, por outro lado, contraiu ainda mais (- 6,9%) e contabilizou R$ 340,2 milhões neste terceiro trimestre.

Conforme relatado pela empresa, “o resultado foi impactado, especialmente, pelo efeito não-recorrente decorrente da baixa para o resultado do exercício no montante de R$ 30,8 milhões, referentes a imposto de renda e contribuição social diferidos sobre diferenças temporárias ativas, em razão de análise de recuperabilidade da MSVia”.

Adicionalmente, a administração da companhia informou que o lucro do respectivo trimestre foi comprometido por um efeito contábil de, em média, R$ 55 milhões na linha de “Depreciação e Amortização“, relacionado à proximidade do fim de duas concessões rodoviárias do grupo: a NovaDutra e a Rodonorte.

Outro destaque reportado no trimestre foi o tráfego consolidado, que avançou 6,0% no 3T19 ante ao terceiro trimestre de 2018.

Entre julho e setembro, o EBITDA ajustado operacional* apresentou crescimento de 17,6%, com margem de 61,4% (+1,2 p.p.).

No mesmo período, os investimentos realizados (incluindo o ativo financeiro), somados à manutenção, bateram a marca de R$ 430,5 milhões.

O balanço corporativo foi veiculado na noite de ontem (28), após o fechamento do pregão.

Por fim, a CCR notificou em 15 de outubro que, a partir de 31 de outubro deste ano, terá início o pagamento dos dividendos intermediários no montante de R$940.000.000,01, correspondentes a R$ 0,46534653466 por ação ordinária.

Segundo a CCR, apenas titulares de ações ordinárias na base acionária de 18 de outubro deste ano receberão os dividendos.

Além disso, as ações da Companhia passaram a ser negociadas “ex dividendos” a partir de 21 de outubro de 2019.


Sobre o autor