Empresas

LINX3: Crise deve frear crescimento em software e Credit Suisse rebaixa Linx, Sinquia

Por TradersClub
02 junho 2020 - 08:43 | Atualizado em 02 junho 2020 - 08:45

Totvs, Linx e Sinqia apresentam grandes perspectivas a longo prazo, mas o cenário mais desafiador imposto pela Covid-19 deve desacelerar visivelmente seus indicadores operacionais, disseram analistas do Credit Suisse, que rebaixaram as ações das duas últimas para neutra na esteira de maior custo de capital e crescimento menor de receita. Os três papéis acumulam queda no ano de 4,8%, 38,6% e 18,6%, respectivamente.

Em relatório divulgado hoje, a equipe liderada por Daniel Federle disse que “à luz de um cenário altamente incerto, acreditamos que o momento operacional e a avaliação devem ganhar relevância em relação às perspectivas de longo prazo. Nesse cenário, dado que a avaliação não é uma pechincha no setor, qualquer reavaliação dos papéis parece improvável”. Um PIB fraco implica risco de queda e, apesar de os impactos diretos do coronavírus pareçam estar incorporados nas estimativas de curto prazo, os efeitos de uma recessão mais prolongada é “fonte de risco negativo” para o setor. Eles veem a Totvs como relativamente mais dependente das condições macro, enquanto Sinqia parece ser a menos sensível ao PIB – por isso p status de preferia no setor.

Federle rebaixou a ação ordinária da Linx para neutra e reduz o preço-alvo de R$42,00 para R$24,00, citando um maior custo de capital. Em relação à Sinqiam, a recomendação caiu de outperform para neutra, com o preço-alvo ajustado de R$22,00 para R$21,00 na esteira de menor crescimento esperado orgânico e inorgânico, Já a Totvs teve seu preço-alvo reduzido de R$22,50 para R$21,00, com recomendação neutra. (Guillermo Parra-Bernal/ACS)


Sobre o autor