Empresas

IRB Brasil (IRBR3) avança com entrega do resultado de investigação independente

Por Fast Trade
26 junho 2020 - 16:00 | Atualizado em 26 junho 2020 - 17:10

Pouco antes da abertura do mercado, IRB Brasil (IRBR3) comunicou a conclusão da investigação independente sobre a divulgação de informações da sua base acionária.

A apuração foi realizada pela KPMG Assessores e pelo escritório Felsberg Advogados e todo o material já foi entregue ao Ministério Público Federal (MPF), à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e à Superintendência de Seguros Privados (SUSEP).

Em nota, a empresa afirmou que a análise identificou os autores da divulgação de informações falsas sobre uma suposta participação da Berkshire Hathaway, empresa de Warren Buffett, na base acionária da IRB Brasil RE.

Conforme o comunicado, essas pessoas são ex-executivos da companhia, “que praticaram atos individuais irregulares, fora de seus mandatos e de seus poderes regulares de gestão”.

O fato relevante impulsionou as ações do IRB Brasil, que subiam 6,67% próximo das 13h25. Seus papéis eram cotados a R$ 12. No decorrer do dia, os ganhos foram reduzidos, mas a valorização continuava às 15h44, com avanço de 5,16% e papéis cotados a R$ 11,83.

Apurações internas

O resultado da investigação ainda mostrou irregularidades internas, como no pagamento de supostos bônus a ex-diretor e outros colaboradores da empresa e suas controladas.

De acordo com a nova Diretoria, o montante identificado nessas operações irregulares é de aproximadamente R$ 60 milhões, realizadas no exercício de 2019 e 2020.

Além disso, foram detectadas operações de recompra de ações da empresa que ultrapassaram as quantidades autorizadas pela administração. Segundo a IRB Brasil, sua administração havia autorizado a recompra de 2.850.000 ações entre fevereiro e março de 2020.

Assim também, “os responsáveis primários por essas irregularidades, que igualmente não se encontram mais nos quadros do IRB Brasil RE, já foram identificados”.

Assinado por autoridades do IRB Brasil

Em nota, o diretor vice-presidente executivo de Riscos e Conformidade do ressegurador, Wilson Toneto, afirmou que “a apuração é uma reafirmação daquilo que esta gestão tem dito desde que assumiu, há algumas semanas: não compactuaremos com quaisquer irregularidades que tenham sido feitas na companhia”.

Do mesmo modo, o presidente do Conselho de Administração e atual diretor-presidente, Antonio Cassio dos Santos, se manifestou por meio de nota dizendo que houve muita dedicação “nestas últimas semanas a uma análise abrangente, criteriosa e extremamente rigorosa de todas as operações, ações e decisões tomadas no IRB Brasil RE antes da chegada da nova diretoria”.

Leia o fato relevante do IRB na íntegra.


Sobre o autor