Empresas

Infracommerce compra Synapcom e conclui primeira fase do plano de crescimento

Por Fast Trade
27 setembro 2021 - 05:54 | Atualizado em 27 setembro 2021 - 07:24

A infracommerce (IFCM3) adquiriu a Synapcom por R$1,2 bilhão. Ambas oferecem serviços on-line e de logística e eram, portanto, concorrentes diretas no mercado. A operação foi encerrada no domingo (26) e foi a maior aquisição na história da companhia.

O pagamento será realizado por meio da emissão de ações no valor de R$430 milhões. Os outros R$773 milhões serão desembolsados em dinheiro, metade agora e metade em 12 meses.

A emissão de novos papéis e a possível queda no valor das ações não será um problema, segundo Kai Schoppen, CEO da Infracommerce.

+ O que ninguém te conta sobre os investimentos em ações

“É uma diluição leve ao se contar o salto que daremos. Estamos baratos frente a outros, somos uma plataforma em construção. Queremos ter uma ‘fuga para frente’, fechar o desconto em relação aos outros. É um mercado de gente muito grande e quero criar um negócio que não depende de ser comprado para ser relevante”, disse Schoppen.

De acordo com o executivo, a Synapcom entrou no negócio por dois motivos. Primeiro pelo valor, já que são milhões em dinheiro e segundo porque a empresa concorda com o projeto de crescimento da Infracommerce.

Futuro do companhia

Agora, depois da aquisição, a empresa deve saltar de uma receita anual de R$240 milhões para R$710 milhões. Em relação às vendas brutas totais (GMV), a valor deve avançar de R$8 bilhões para R$9 bilhões.

“Queremos chegar a R$15 bilhões, R$20 bilhões de GMV, um terço do valor dos grandes, para ter maior escala. Para não sermos alvo muito fácil. Neste ano, concluímos a primeira fase do nosso ‘master plan’. Consolidamos GMV e ganhamos massa, finalizando essa fase com essa aquisição”, afirma Schoppen.

+ Guia de A a Z de como se tornar um trader

A segunda fase do plano mencionado pelo CEO da Infracommerce é o avanço na consolidação de uma plataforma maior de tecnologia e dados. Além disso, o objetivo é ampliar o serviço Business to Business (B2B). 

Por fim, a terceira fase envolve a criação de uma estrutura de prestação de serviço ao ponto de venda. Ou seja, é o desenvolvimento do varejo físico e, portanto, a Synapcom pode ajudar nesse sentido, já que a empresa tem um Business to Consumer (B2C) forte.

Quer ficar informado de todas as novidades sobre o mercado financeiro? Então participe do Canal do Fast Trade no Telegram acessando o link: https://t.me/plataformafasttrade

Infracommerce compra Synapcom e conclui primeira fase do plano de crescimento

Leia também:

Após mais um pregão positivo, dólar fecha a semana com valorização de 1,08%


Sobre o autor