Mercados

Índices acionários globais operam em terreno negativo após dados mistos na China

Por Fast Trade
16 julho 2020 - 09:11 | Atualizado em 16 julho 2020 - 10:33

Os indicadores econômicos chineses têm mostrado que a potência asiática está se recuperando da crise do coronavírus, mas os índices acionários globais estão sentindo os recentes números do PIB e das vendas no varejo da região.

Além disso, cresce as preocupações de que uma nova bateria de medidas para conter o avanço da Covid-19 coloque um freio na recuperação. Conforme os dados divulgados pela China, sua economia avançou 3,2% entre abril, maio e junho de 2020, após a queda histórica de 6,8% no 1T20.

Embora o resultado tenha superado a mediana das previsões de um aumento de 2,6%, segundo projeções de economistas ouvidos pelo “The New Street Journal”, não foi o bastante para anular os impactos das vendas no varejo que declinaram 1,8% em junho na comparação anual.

Ademais, sua produção industrial avançou 4,8% na mesma base de comparação, mas o Shangai SE fechou em queda de 4,50%.

Do mesmo modo, o Hang Seng Index, de Hong Kong, caiu 2%. Já em Tóquio, o decréscimo foi de 0,76% para o Nikkei. Como a China é a primeira das principais economias mundiais a crescer diante da crise, os índices acionários repercutiram o indicativo de que há incertezas.

Assim, o Euro Stoxx cai 0,65% às 9h06, seguido do DAX, de Frankfurt, (-0,67%), apesar das expectativas com a reunião do Banco Central Europeu (BCE). Especialistas acreditam que o programa de compra de títulos não deve ser alterado, após ter sido elevado para 1,35 bilhão de euros em junho.

Do mesmo modo, os futuros de Nova York cedem às incertezas. Os futuros do Dow Jones recuam 0,66% e os do S&P 500 declina 0,65%.

Leia também:

Oi quer ativar sinal 5G e mais destaques corporativos

União pagou R$ 5,48 bilhões no primeiro semestre para honrar dívidas de Estados e municípios

Ibovespa segue rali de alta com otimismo externo pela vacina

Após sessão volátil, dólar devolve as perdas e sobe a R$5,38

Agenda econômica pode amenizar queda dos índices acionários

No cenário doméstico, o Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) subiu 1,91% e o IPC-S avançou 0,56% na primeira metade de julho, de acordo com a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Nos Estados Unidos, o Departamento de Trabalho divulga logo mais os números dos pedidos de seguro-desemprego. Como a expectativa é de queda no número registrado na semana anterior, é possível que os futuros norte-americanos sejam equilibrados.


Sobre o autor