Economia

Índice de Confiança de Serviços cai 5,6 pontos em março

Por Fast Trade
30 março 2021 - 07:30 | Atualizado em 30 março 2021 - 09:43
Pela 12ª semana consecutiva mercado reduz estimativas de crescimento econômico em 2019

O Índice de Confiança de Serviços (ICS) segue pressionado pelo agravamento da pandemia e as novas medidas restritivas para frear o crescimento de casos da Covid-19. De acordo com o FGV IBRE, o indicador ampliou a tendência de queda iniciada nos últimos meses.

Assim sendo, o Índice de Confiança de Serviços contraiu 5,6 pontos na passagem de fevereiro para março, totalizando 77,6 pontos. Esse é o menor nível para o indicador desde junho de 2020 (71,7 pontos), quando o ICS já era fortemente afetado pela pandemia.

Como resultado, o índice chegou à quarta queda consecutiva (-2,9 pontos) em médias móveis trimestrais.

Para o economista do FGV IBRE, Rodolpho Tobler, “a piora da satisfação dos empresários e aumento do pessimismo em relação ao curto prazo sinalizam as dificuldades do setor diante o recrudescimento da pandemia, aumento das medidas restritivas e cautela dos consumidores”.

Diante dos recordes de casos e óbitos decorrentes da covid-19, diversos Estados decretaram novas regras que culminaram no fechamento do comércio não essencial.

Além disso, os depósitos do auxílio emergencial, benefício pago pelo governo federal durante a pandemia em 2020, foram encerrados ainda naquele ano.

Em 2021, o orçamento do programa será menor e, portanto, o valor das parcelas será mais baixo do que a assistência paga no ano passado. Expectativa é que o valor padrão do benefício seja de R$ 250, mas não para todos os contemplados.

Assim sendo, Tobler destaca que “a distância para os níveis anteriores à pandemia segue aumentando”. Em meio a um cenário de incerteza elevado, ele acredita ser difícil vislumbrar uma recuperação nos próximos meses.

No entanto, ele avalia que a aceleração no processo de imunização e melhora dos números da pandemia vão melhorar o Índice de Confiança de Serviços.

Aprofundando no Índice de Confiança de Serviços

Conforme analisado pelo FGV IBRE, o declínio do ICS entre fevereiro e março foi puxado por 11 dos 13 segmentos pesquisados.

Como resultado, o setor de serviços encerrou o primeiro trimestre de 2020 em queda, embora tenha iniciado uma recuperação no segundo semestre de 2020.

Veja quais foram os destaques positivos e negativos entre os segmentos contemplados no Índice de Confiança de Serviços.

Por fim, acesse  o Press Release para ainda mais detalhes e continue acompanhando o portal Fast Trade para ficar por dentro dos indicadores econômicos domésticos.

Antes de mais nada, leia também:

Boletim Focus: mercado mantém previsão para Selic em 2021, eleva IPCA e mais

Ibovespa fecha em alta seguindo o exterior, apesar dos ruídos em Brasília

Dólar avança a R$5,76 com preocupações referentes à dinâmica fiscal

Futuros de petróleo fecham em alta à espera da reunião da Opep+

Cemig (CMIG4) apresenta lucro líquido da Cemig R$ 1,332 bilhão no 4T20

Oi (OIBR4) amarga prejuízo líquido de R$ 10,5 bilhões em 2020

CVC (CVCB3) lucrou R$ 82,3 milhões no 4º trimestre

Boletim Focus: mercado mantém previsão para Selic em 2021, eleva IPCA e mais

Confiança da Indústria atinge o menor nível desde agosto de 2020 e agenda indicadores

Levantamento do IBGE indica recorde na prévia da inflação oficial

CPFL Energia reporta lucro no 4° trimestre de 2020 e propõe distribuição de dividendos

RENT3: Localiza distribuirá R$ 63,7 milhões em JCP; R$ 0,084795911 por ação

LIGT3: lucro líquido da Light disparou 178% em 2020

Aquisição do Grupo Big faz Carrefour avançar rumo à liderança no Brasil

 


Sobre o autor