EconomiaHome

Indicadores econômicos: IPC-S; prévia oficial da inflação (IPCA-15); sondagem industrial e mais

Por Pablo Vinicius Souza
25 junho 2019 - 10:19
Nossa agenda local de indicadores econômicos tem como destaque a divulgação da Pesquisa Mensal do Comércio de setembro do IBGE.

O destaque do dia vai para a publicação do IPC-S Capitais, pela FGV, inaugurando a agenda de indicadores nesta terça-feira.

Este dado está relacionado à terceira quadrissemana de junho. Posteriormente, o IBGE tornará público a prévia oficial da inflação (IPCA-15).

Mais tarde, a CNI divulgará a sondagem industrial relacionada ao mês de maio.

Lá fora, os Estados Unidos divulgarão as vendas de moradias novas no mês de maio e o Conference Board, índice que mede a confiança do consumidor de junho.

Também muito aguardado pelo investidor é a fala do presidente do Fed, Jerome Powell, sobre as perspectivas econômicas e a política monetária no Conselho de Relações Exteriores, em NY.

No mesmo dia, tanto o presidente do Fed de Nova York, John Williams, quanto o presidente de St Louis, James Bullard, devem falar.

Bullard se opôs à decisão do Fed de manter as taxas suspensas na semana passada.

Diplomacia em jogo

Se ontem o dia foi mais morno, a agenda cheia de hoje promete agitar os mercados. No exterior, é aguardada a fala de Powell, o presidente do banco central norte-americano, pela tarde. Com mais um discurso confirmando as chances de queda das taxas de juros no curto prazo, há motivos para vermos o mercado internacional mais otimista – apesar da apreensão e expectativa com a reunião do G-20 no fim da semana. A cautela vista nesta manhã – que inclusive fez com que o ouro atingisse os maiores patamares dos últimos seis anos – é em parte atribuída à falta de jeito de Trump em negociar. O governo do Irã sugeriu hoje que a decisão de Trump de ontem de aumentar as sanções contra o país fecharam permanentemente o caminho diplomático. Se a cada dia um novo país não consegue chegar a um acordo diplomático com os EUA, por que com a China seria diferente?

Por aqui, seguimos contando os votos necessários para a aprovação da reforma na Câmara – há quem diga que já estão confirmados mais do que os 308 votos necessários, mas é essencial ter uma folga para ir para votação e que ocorra ainda antes do recesso parlamentar. Ademais, Lula livre segue sem previsão para ocorrer. Isso porque o julgamento do pedido de liberdade foi adiado no STF e ainda não tem data marcada.

Por Glenda Ferreira – Especialista em Investimentos na Levante Ideias de Investimentos


Sobre o autor