Mercados

Indicadores econômicos globais: Relatório Focus, ata do FOMC e mais destaques

Por Fast Trade
18 fevereiro 2021 - 08:00 | Atualizado em 18 fevereiro 2021 - 08:32

Confira os principais indicadores econômicos divulgados na véspera (17), tanto referentes ao mercado local quanto ao internacional.

No Brasil, além da divulgação da balança comercial – conforme observamos ontem, outros dados importantes foram apresentados.

Além disso, o mercado acompanhou outros números relevantes para nivelar a economia que tenta se recuperar dos impactos da pandemia.

+ Derivativos – O guia definitivo para começar a investir: confira!

Indicadores econômicos domésticos

Em primeiro lugar, os economistas do mercado financeiro revisaram suas respectivas projeções para a Selic do ano corrente.

De acordo com o Relatório de Mercado Focus, apresentado excepcionalmente ontem, após o feriado de Carnaval, a mediana das previsões para a taxa básica da economia em 2021 passou de 3,50% para 3,75%.

Assim também, a mediana dos economistas consultados modificaram a previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Também conhecido como “indicador oficial de preços”, a mediana do IPCA de 2021 passou de +3,60% para +3,62%.

Do mesmo modo, as projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) do ano corrente também sofreram alterações. Nesse sentido, os economistas sondados revisaram a expectativa para a economia de 2021 +3,47% para +3,43%.

+ Guia do Investidor Iniciante: acesse o material gratuito.

Economia dos EUA

Ademais, o mercado repercutiu uma série de indicadores econômicos norte-americanos, como as vendas no varejo dos EUA, por exemplo.

Conforme os dados divulgados pelo Departamento de Comércio do país, as vendas no varejo norte-americano aumentaram em um ajuste sazonal de 5,3% em janeiro.

Ademais, os números apurados em dezembro foram revisados ​​para baixo. Assim, passaram a mostrar que as vendas declinaram 1,0%, e não 0,7%.

Na sequência dos destaques econômicos dos EUA, o Índice de Preços do Produtor (PPI, na sigla em inglês) cresceu 1,3% em janeiro.

A produção industrial do país, por sua vez, cresceu 0,9% na passagem de dezembro de 2020 para janeiro de 2021, segundo o Federal Reserve.

Já a utilização da capacidade da indústria subiu 1,1 ponto porcentual na mesma base de comparação, para 75,6%.

Outro indicador relevante para o mercado foi apresentado pela Associação Nacional de Construtoras de Moradias (NAHB, na sigla em inglês).

De acordo com a publicação da véspera, o índice de confiança das construtoras da potência norte-americana subiu de 83 em janeiro para 84 em fevereiro.

Isso representa um cenário positivo, uma vez que leituras acima de 50 indicam que mais construtoras veem as condições como boas.

Em relação à ata do Federal Open Market Committee (FOMC), a perspectiva é que os juros devem se manter no patamar atual por mais tempo.

Realizada em janeiro, a reunião marcou a manutenção das taxas, assim como a manutenção das compras de US$ 120 bilhões em ativos mensais.

+ Guia de A a Z de como se tornar um trader: baixe gratuitamente!

Indicadores econômicos europeus

Por fim, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) do Reino Unido subiu 0,7% na passagem de janeiro de 2020 para o mesmo período em 2021, conforme os números divulgados pelo Escritório Nacional de Estatísticas (ONS).

Ainda assim, o CPI continua bem aquém da meta de inflação do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês), ou seja,  2%.

Por fim, continue acompanhando o portal Fast Trade para ficar por dentro dos impactos dos indicadores econômicos nos mercados globais.

+ Guia completo de como ter sucesso nas operações de day trade: baixe gratuitamente!

Antes de mais nada, leia também:

Ibovespa avança com blue chips em dia volátil e de pregão reduzido

Dólar sobe a R$5,41 apesar da baixa liquidez na volta do feriado

Petróleo fecha em alta apesar do estudo da Arábia Saudita para elevar produção

Balança comercial tem déficit de US$ 0,72 bilhão em fevereiro

B3: grandes bancos registram a 1ª queda no lucro desde 2016

CSAN3: lucro da Cosan despencou 65% em 2020

Mercado de ações à vista: volume financeiro médio dispara 57,6% em janeiro

CCPR3: Cyrela Commercial Properties lucrou R$ 128 mi em 2020, alta de 32,3% A/A


Sobre o autor