EconomiaHome

Indicadores econômicos: Boletim Focus; IPC-S; atividade industrial Empire State e mais

Por Pablo Vinicius Souza
17 junho 2019 - 10:26
Nossa agenda local de indicadores econômicos tem como destaque a divulgação da Pesquisa Mensal do Comércio de setembro do IBGE.

O andamento do comércio continuará em foco, sobretudo, enquanto as audiências do Congresso sobre as tarifas comerciais começarem nesta segunda-feira.

Destaque para o tradicional boletim Focus, pelo Banco Central em nossa agenda doméstica.

O documento apresentará projeções atualizadas do mercado para inflação, juros e PIB.

Também pela manhã, a FGV publica o IPC-S. Mais tarde, o Ministério da Economia publica dados da balança comercial semanal.

De acordo com o Valor Econômico, o subsecretario de Política Econômica do Ministério da Economia, Vladimir Teles, sinalizou que o “risco de recessão técnica é praticamente zero”.

Lá fora, o dia tem como destaque a publicação do índice de atividade industrial Empire State de junho, nos EUA.

Mais tarde, o índice de confiança das construtoras, também relacionado a junho será conhecido.

Com a proximidade da conferência de comércio do G20 neste mês, a crise entre Washington e Pequim é intensificada.

Em contrapartida, o Ministério de Finanças chinês publicou nesta segunda-feira (17) a emissão de bônus por parte dos governos locais.

O montante, referente a maio, está avaliado em 304,3 bilhões de yuans (US$ 44 bilhões), ao passo que 146,4 bilhões de yuans foram emitidos com propósitos específicos.

De acordo com o órgão chinês, o valor contemplará projetos de infraestrutura, a fim de impulsionar o avanço dos investimentos.

Além disso, a China ainda publicará o índice de preços de moradias ainda hoje.

Enquanto o panorama internacional começa a semana sem grandes novidades, as atenções ficam voltadas para o já tão aguardado encontro dos EUA e China no fim do mês, além do monitoramento dos próximos passos do Fed. Como há reunião do banco central norte-americano na semana, os investidores ficam ávidos por sinais de que um novo corte de juros virá logo. Mas qualquer decepção quanto aos comunicados, pode fazer com que o nível de aversão ao risco, aumente.

Aqui, mais uma baixa no governo. Dessa vez, de Joaquim Levy e como se soma a mais outras tivemos. A falta de foco do governo em meios a suas crises internas e em especial agora, com o pedido de demissão de um membro da equipe econômica que até então estava blindada, podem ligar o sinal de alerta. Além disso, o calendário apertado para a votação da reforma, pode deixar o investidor com um pé atrás e começar a recurar após tanta euforia vista.

Por Glenda Ferreira – Especialista em Investimentos na Levante Ideias de Investimentos

Leia mais:

Demissão de Levy dificulta ambiente de estabilidade no mercado

Para estimular competitividade, governo pode reduzir imposto para produtos de tecnologia

Equipe econômica quer ajustar relatório da reforma da Previdência


Sobre o autor