EconomiaHome

Incerteza externa por coronavírus deve manter viés de baixa para a bolsa em fevereiro, diz BB

Por TradersClub
03 fevereiro 2020 - 11:30
BBAS3; Banco do Brasil; BB Seguridade; proventos do BB

O viés positivo para a bolsa brasileira deve ser neutralizado pela crescente lista de incertezas externas e maior aversão ao risco na esteira da epidemia de coronavírus, que tem paralisado a economia chinesa e deve desacelerar a atividade mundial, disseram estrategistas do BB Investimentos.

No relatório de Carteira 5+ para o mês de fevereiro, a equipe liderada por Hamilton Moreira Alves disse que a bolsa voltou a operar com volatilidade e forte pressão baixista em meio às incertezas e maior cautela dos investidores com relação aos possíveis impactos do coronavírus na economia global. “Assim, preferimos manter um viés mais neutro para a bolsa em fevereiro, considerando que esse assunto está longe de se esgotar e novos desdobramentos devem continuar pressionando os mercados”, disse.

Mesmo assim, Moreira e sua equipe ressaltaram uma série de potenciais catalisadores de alta para a bolsa paulista. Por um lado, as perspectivas para o crescimento da economia brasileira para esse ano continuam apontando para um crescimento acima da média dos três últimos anos, o que deve sustentar a alta da bolsa no decorrer do ano. O início da temporada de resultados trimestrais, que ganha tração nesta semana, também deve ser positivo para as ações, apontam. “Também seguimos monitorando o avanço na agenda de reformas, cujo cenário permanece construtivo, o que tende a impulsionar os ativos de renda variável”, disseram. Na Carteira 5+ para esse mês, Moreira adicionou a Alupar unit, assim como as ações ordinárias de Localiza, Magazine Luiza, PetroRio e Tenda. Elas substituem as ações ordinárias de Gafisa, Lojas Marisa, Metal Leve, Weg e as ações preferenciais da Petrobras.


Sobre o autor