Economia

Incerteza da Economia recua em dezembro, mostra FGV

Por Fast Trade
30 dezembro 2020 - 17:00 | Atualizado em 30 dezembro 2020 - 18:57
Declarações de Bolsonaro e lentidão no avanço do PIB dificultam novos investimentos; economia brasileira

De acordo com a Fundação Getulio Vargas (FGV), o Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) recuou 3,5 pontos em dezembro. Desse modo, o indicador declinou para 142,3 pontos e, agora, está 27,2 pontos acima do nível de fevereiro passado.

O mês é usado como referência para indicar o período que antecede o início da pandemia de covid-19 no Brasil. Além disso, o IIE-Br está 5,5 pontos acima do nível máximo anterior a esse período, registrado em setembro de 2015.

Na avaliação de Anna Carolina Gouveia, economista do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da FGV, o recuo após alta no mês anterior teve alguns influenciadores.

Em primeiro lugar, ela destacou o início da vacinação contra covid-19 em diversos países. Em segundo lugar, a economista sinalizou o aumento das expectativas, ainda que modesta, em relação a uma possível recuperação econômica e social nos próximos meses.

Baixe agora: Guia de A a Z de como se tornar um trader!

Ao mesmo tempo, o indicador de que mede a incerteza brasileira encerra 2020 em um “nível bastante desfavorável”. Acima dos 140 pontos, o patamar do Indicador de Incerteza da Economia reflete as incertezas em torno da piora sanitária no Brasil.

Assim também, “o conturbado cenário da vacinação no país, até então”, tem ampliado as incertezas.

Nesse sentido, ela acrescentou, em relatório, que “no curto prazo, não há sinalização de que o nível de incerteza retorne a patamares mais satisfatórios”. Isso se dá principalmente por causa dos “enormes desafios que o Brasil ainda precisará enfrentar nos mais variados temas”.

Componentes do Indicador de Incerteza da Economia

Ainda de acordo com a FGV, ambos os componentes do Indicador de Incerteza da economia brasileira recuaram em dezembro. A princípio, o componente de Mídia declinou 0,2 pontos, para 129,4 pontos.

Assim, contribuiu negativamente em 0,2 pontos para a queda do indicador geral no mês. Em paralelo, o componente de Expectativas, medidor da dispersão das previsões para os próximos 12 meses, despencou 15,8 pontos.

A forte queda derrubou o componente para 176,2 pontos e foi o que mais pesou na queda do indicador agregado (3,3 pontos). Desse modo, nenhum dos componentes devolveram as altas apuradas nos piores momentos da pandemia.

Em contrapartida, o componente de Mídia devolve 80% das altas do bimestre de março e abril ao final de 2020. Já o componente de Expectativas devolve apenas 48% das altas entre março e maio e encerra 2020 quase 60 pontos acima do período pré-pandemia.

Baixe agora: Derivativos – O guia definitivo para começar a investir

Quer ficar informado de todas as novidades sobre as técnicas e estratégias aplicadas ao day trade? Então participe gratuitamente do Canal do Fast Trade no Telegram acessando o link: https://t.me/plataformafasttrade.

Leia também:


Sobre o autor