Economia

Incerteza da Economia mantém tendência de queda em janeiro, diz FGV

Por Fast Trade
01 fevereiro 2021 - 08:30 | Atualizado em 01 fevereiro 2021 - 11:05
Risco Fiscal

A sondagem de janeiro para o Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) indica um declínio de 4,9 pontos em janeiro.

+ Derivativos – O guia definitivo para começar a investir: confira!

Medido pela Fundação Getulio Vargas, o índice está agora em 137,4 pontos, ou seja, apenas 22,3 pontos acima do nível de fevereiro passado.

O mês é usado como referência do período que antecede o início da pandemia do novo coronavírus no Brasil.

Assim também, o resultado de janeiro está 0,6 ponto acima do nível máximo anterior a esse período, registrado em setembro de 2015.

Acima de tudo, o indicador foi impactado “pela forte queda do componente de Expectativa”, de acordo com a economista do FGV/IBRE, Anna Carolina Gouveia.

O componente, por sua vez, é responsável por medir a dispersão das previsões dos especialistas de mercado para os próximos 12 meses.

Por um lado, o início da campanha de vacinação contra a covid-19 no mundo favorece as expectativas dos agentes, segundo ela.

Nesse sentido, o otimismo está relacionado com “um possível retorno à normalização da economia, traduzido no aumento da previsibilidade das variáveis IPCA, Selic e Inflação”.

Em contrapartida, “os diversos contratempos em torno do plano de vacinação”, bem como o aumento de casos da doença “concomitante à possibilidade de serem reeditadas medidas de flexibilização nos estados têm mantido os níveis do IIE-Br acima dos 130 pontos”, completou.

+ Guia do Investidor Iniciante: acesse o material gratuito.

Componentes da Incerteza da Economia

Os dois componentes do Indicador de Incerteza da Economia recuaram no consolidado de janeiro, de acordo com a FGV.

Em primeiro lugar, o componente de Mídia registrou decréscimo de 1,1 ponto, para 128,3 pontos.

+ Dólar e Mini dólar – Desvendando este mercado: baixe agora!

Como resultado, a queda do componente contribuiu negativamente em 1,0 ponto para a queda do IIE-Br no primeiro mês de 2021.

Em segundo lugar, o componente de Expectativas, responsável por medir a dispersão das previsões para os 12 meses seguintes, despencou 17,5 pontos.

Desse modo, a referência contraiu pela segunda vez consecutiva e chegou aos 158,7 pontos.

Com isso, o componente de Expectativas contribuiu para a queda da Incerteza da Economia com 3,9 pontos.

Acesse o press release.

Por fim, continue acompanhando o portal Fast Trade para mais destaques econômicos, entre outros.

+ Guia de A a Z de como se tornar um trader: baixe gratuitamente!

Quer ficar informado de todas as novidades sobre as técnicas e estratégias aplicadas ao day trade? Então participe gratuitamente do Canal do Fast Trade no Telegram acessando o link: https://t.me/plataformafasttrade.

Antes de mais nada, leia também:

B3: Petrobras (PETR3; PETR4), PetroRio (PRIO3) e IRB Brasil (IRBR3)

Eletrobras (ELET3; ELET5; ELET6) discute alterações em seu estatuto

CVCB3: CVC quer captar R$ 436 milhões com emissão de debêntures

CIEL3: lucro líquido da Cielo cresce 197% e atinge R$ 298,2 milhões no trimestre

Iguatemi (IGTA3) reporta queda de 14,4% no 4T20 em sua prévia operacional

B3SA3: B3 registra alta de 54,5% no volume financeiro médio diário em ações

Balanços corporativos: MGLU3, AZUL4, BTOW3 e mais; confira a agenda de resultados

Cemig (CMIG3) liquida participação na Light (LIGT3) e leva R$ 1,37 bilhão

B3: Itaúsa (ITSA4), Minerva (BEEF3), Magazine Luiza (MGLU3) e Cyrela (CYRE3)

Agenda dos balanços corporativos do 4T20 e de 2020


Sobre o autor