EconomiaHome

Inadimplência entre idosos é a que mais cresce no Brasil, aponta Serasa

Por Eloiza Amaral
05 julho 2019 - 14:18

A inadimplência entre idosos cresceu 9,3% entre maio de 2018 e o mesmo mês em 2019, indo de 8,7 milhões para 9,5 milhões de indivíduos, apontou uma pesquisa feita pela Serasa Experian e divulgada pelo Estadão nesta sexta feira (5).

O número é ainda mais alarmante se a comparação for feita com a média nacional, de alta de 2,2% na quantidade de inadimplentes no período.

Dentre os 1,4 milhão de novos devedores observados entre maio de 2018 e maio de 2019, 809 mil são idosos, ou seja, quase 60% do total tem mais de 60 anos, sendo que, os idosos representam apenas 18% da população brasileira.

Especialistas disseram ao jornal que o crescimento do número de idosos no quadro de inadimplência é impulsionada pelos empréstimos consignados. Uma vez que o valor das parcelas já é descontado do holerite da aposentadoria, a renda do idoso fica menor, para o pagamento de contas básicas, como as de água, luz, supermercado.

Com as taxas de juros ao ano para empréstimo consignados no menor patamar da série histórica, 24,34%, os aposentados veem mais oportunidades para fazer este tipo de empréstimo.

Além da diminuição dos juros, a situação atual do país também contribui para a inadimplência. “A crise econômica aumenta o desemprego, afetando as famílias brasileiras. Isso fez com que chefes de famílias recorressem aos idosos como fonte adicional de crédito e de renda. Crédito consignado, principalmente. Um pai de família que perdeu emprego que tem pai, mãe, sogro, sogra que podem pegar crédito pedem ajuda. Isso aumentou o endividamento dos idosos”, disse ao Estado o economista da Serasa Luiz Rabi.


Sobre o autor