Agronegócio

Importações chinesas de milho devem cair 46% no biênio 2021/22

Por Fast Trade
03 maio 2021 - 07:30 | Atualizado em 03 maio 2021 - 09:45
safra de grãos; MILHO

Uma projeção do adido do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) em Pequim mostrou que as importações chinesas de milho devem recuar em 2021/22.

Conforme noticiado pela Reuters, o levantamento indica que a potência asiática deve importar 15 milhões de toneladas.

+ Ebook Análise técnica de ações e futuros

Isso representa um decréscimo de 46,4% ante a estimativa para o ciclo anterior, entre 2020/21, de recorde de 28 milhões de toneladas.

A avaliação, segundo o Serviço Agrícola Estrangeiro, é que “a China esgotou sua reserva temporária de milho”.

Assim sendo, o gigante asiático estaria “acumulando estoques de milho por medo de futuras interrupções na cadeia de suprimentos”.

Problemas relacionados ao clima também são levados em consideração, uma vez que poderiam reduzir a produção.

De acordo com o adido, as importações volumosas em 2020/21 visam a recomposição das reservas estatais. Além disso, as compras seriam usadas para a demanda por ração animal e redução dos preços domésticos.

+ Guia de A a Z de como se tornar um trader!

Diante do aumento dos estoques iniciais e da produção em 2021/22, isso deve diminuir a necessidade de importação.

Vale destacar ainda que a produção de milho na China deve crescer 2,8% em 2021/22, para cerca de 268 milhões de toneladas.

A previsão para o aumento reflete uma maior área plantada, fato que deve ocorrer devido a políticas do governo. Ademais, o adido relacionou a alta aos preços mais altos do milho no mercado doméstico.

Por fim, continue acompanhando o portal Fast Trade para saber como a diminuição das importações chinesas de milho podem impactar a balança comercial do Brasil.

Antes de mais nada, leia também:

Preço-alvo do Ibovespa passa de 135 mil pontos para 145 mil pontos, diz XP

Proventos da Cielo (CIEL3), Cia. Hering (HGTX3) e Taesa (TAEE11)

B2W Digital dispara após notícia de fusão com a Lojas Americanas


Sobre o autor