Economia

IGP-10 disparou 1,18% em agosto, acumulando alta anual de 16,88%

Por Fast Trade
17 agosto 2021 - 10:58 | Atualizado em 17 agosto 2021 - 12:34
explicações sobre altas nos preços

O IGP-10 disparou 1,18% em agosto, isso após um leve aumento de 0,18% em julho. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (17) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Os números estão dentro do esperado pelos analistas. Eles faziam projeções entre 1,02% e 1,72% com mediana positiva de 1,29%. Vale lembrar que o IGP-10 é composto por outros três índices: o IPA-10, o IPC-10 e o INCC-10.

+ Relatório: Maiores dividendos em 2021

O IPA-10, que mede os preços no atacado, teve avanço de 1,29% (0,07% em julho). Já o IPC-10, preços ao consumidor, aumentou 0,88% (0,70% em julho). Por fim, o INCC-10, preços para a construção civil, cresceu 0,79% (1,37% em julho).

Além disso, no acumulado de doze meses, o IGP-10 teve aumento de 32,84%. Finalmente, no ano, o índice está acumulando 16,88% de aumento. Em contrapartida

Principais Variações

Dentro dos preços ao consumidor, os principais responsáveis pelo aumento do índice foram os alimentos, a energia elétrica e a gasolina. Ainda nesse sentido, foram os seguintes itens que mais variaram: Da mesma forma

Hortaliças e legumes (de -7,67% no mês passado para 5,17%); Plano e Seguro de saúde (de-1,27% no mês passado para 0,62%); Tarifa de Energia Elétrica Residencial (de 3,86% para 5,74%); Gasolina (de 1,42% no mês passado para 2,13%).

Na construção civil o INCC-10 teve um aumento mais brando do que no mês passado por causa da desaceleração do custo da mão de obra (1,45% no mês passado para 0,24). Já sobre os preços industriais, o impacto no índice se deu, sobretudo, no IPA Agrícola.

+ Guia de A a Z de como se tornar um trader

“Os efeitos da seca e das geadas estão mais evidentes no resultado do índice ao produtor. Entre os bens finais, os preços dos alimentos in natura avançaram 5,12%. Já entre as matérias-primas, os destaques foram as culturas mais afetadas pelo clima como milho (10,03%) e café (13,76%). Afora os preços dos alimentos, os combustíveis e lubrificantes para a produção subiram 3,72% e também contribuíram para a aceleração da inflação ao produtor”, afirmou André Braz, coordenador dos Índices de Preços do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.

Quer ficar informado de todas as novidades sobre o mercado financeiro? Então participe do Canal do Fast Trade no Telegram acessando o link: https://t.me/plataformafasttrade

IGP-10 disparou 1,18% em agosto, acumulando alta anual de 16,88%

Leia também:

Panorama Corporativo: IRB Brasil, Cemig, Oi, Mosaico, Bemobi e mais

Jalles Machado lucrou R$115,7 milhões e reverteu o prejuízo do ano anterior

Yduqs teve lucro de R$116,5 milhões no segundo trimestre de 2021


Sobre o autor