HomeMercados

Ibovespa sobe com aceno da China e acordo sobre recursos da cessão onerosa

Por Pablo Vinicius Souza
09 outubro 2019 - 12:34

O Ibovespa iniciou a sessão desta quarta-feira (09) em tom mais otimista, refletindo a melhora do ambiente no exterior e a conclusão do acordo sobre a divisão de recursos da cessão onerosa.

Repercutia nas Bolsas internacionais a notícia de que o governo chinês se ofereceu para comprar mais 10 milhões de toneladas de soja dos Estados Unidos, como um aceno de boa vontade, antes da reunião de alta cúpula, que acontecerá amanhã.

A informação trouxe alívio aos ativos emergentes, que ainda estavam sob forte pressão, devido às medidas agressivas tomadas pelo governo americano contra Pequim, na véspera.

Ontem, Washington restringiu a atuação de 28 empresas chinesas em seu mercado sob a acusação de grave violação de direitos humanos e suspendeu o acesso ao visto a diversos funcionários e oficiais da china, alegando conivência com a situação.

O clima é positivo também no cenário doméstico, com o Congresso fechando um acordo com o governo sobre a distribuição dos recursos que ingressarão nos cofres públicos através do megaleilão do pré-sal.

Dos R$106,5 bilhões, 15% será destinado aos municípios e 15% aos estados, sendo que, deste último percentual, 10% irá para o Fundo de Participação dos Estados e 5% será dado àqueles que produzem e exportam petróleo.

Com a conclusão deste impasse, a reforma da Previdência poderá ser votada em segundo turno sem maiores inconvenientes, aplacando as preocupações dos investidores.

Nesse contexto, às 12h24 (horário de Brasília), a Bolsa brasileira subia 0,48%, aos 100.457 pontos, anotando um volume financeiro de R$3,166 bilhões.

Dólar descola do exterior e avança com IPCA e IPO da Vivara

O dólar comercial operava volátil nesta quarta-feira (09), reagindo ao embate entre o alívio do cenário externo e as incertezas do ambiente doméstico.

Agentes do mercado sinalizaram que o fortalecimento da divisa americana por aqui ocorreu devido à decepção do mercado com a participação de capital estrangeiro na oferta inicial de ações da Vivara.

Ao que tudo indica, a IPO da rede de joalherias teve pouco interesse de investidores estrangeiros, embora tenha movimentado cerca de R$2,29 bilhões na B3.

Semana passada, havia uma grande expectativa que esta oferta atrairia grande volume de capital externo para o Ibovespa, porém, as apostas não se confirmaram.

O fato deu força ao dólar, que às 12h24 (horário de Brasília), avançava 0,32% contra o real brasileiro, sendo cotado a R$4,1030 na venda.

O movimento de queda apresentado pelo câmbio no início das negociações já foi bastante contido devido à deflação de 0,04% registrada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em setembro.

A fraqueza dos níveis de inflação pressionava a queda dos juros futuros, pois conformava um ambiente propício à continuidade do clico de cortes da taxa básica de juros local.

O DI abril/2020 recuava 1,47% sendo negociado a 4,70% (4,76% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2024 declinava 1,10% sendo vendido a 6,29% (6,36% no ajuste anterior).


Sobre o autor