Ações

Ibovespa sobe aos 97 mil com EUA-China e estímulos na UE

Por Fast Trade
19 junho 2020 - 12:58 | Atualizado em 19 junho 2020 - 16:22

O Ibovespa dá sequência ao rali de alta visto nos últimos dias e avança aos 97 mil nesta sexta-feira (19), seguindo o alívio EUA-China e estímulos na União Europeia (UE).

Na sessão de hoje, há uma forte demanda por ativos de risco, com os investidores refletindo o bom humor global frente à reaproximação entre americanos e chineses.

Nesse contexto, a China anunciou que intensificará as compras de soja, milho e etanol produzidos nos Estados Unidos, cumprindo a sua parte no acordo comercial.

Com o início da pandemia, Pequim adiou o cumprimento dos termos acordados com Washington, devido aos impactos financeiros da crise sanitária.

Contudo, após negociações entre os representantes dos dois países no Havaí, a decisão foi direcionar esforços ao acordo e preservar o relacionamento entre as duas maiores economias do mundo.

Outro fator que gerava volatilidade era a reunião de líderes da EU, que visa discutir a adoção do programa que concede 750 bilhões de euros para ajudar na recuperação do bloco econômico.

Nesse sentido, o estímulo servirá para minimizar os efeitos financeiros da pandemia, que gerou grandes prejuízos em muitos países do continente.

Embora nesta primeira reunião as lideranças não tenham alcançado um consenso sobre o pacote de ajuda, o chefe da Comissão Europeia classificou o encontro como positivo.

Cenário político brasileiro, situação fiscal e mercado local

Enquanto isso, por aqui, o noticiário político se mantém dominado pelas repercussões à prisão de Fabrício Queiroz, o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro.

Ontem, Queiroz foi preso em Atibaia (SP) em um imóvel que pertence ao advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef.

Dessa forma, o ex-assessor está sendo acusado de participar do esquema de “rachadinhas” no gabinete de Flávio, enquanto era deputado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Também ficou no radar, a demissão do ministro da Educação, Abraham Weintraub, e sua indicação para a vaga brasileira no Banco Mundial.

Digno de nota, o ministério da Economia planeja apresentar uma proposta para estabelecer uma âncora fiscal voltada ao endividamento público.

O objetivo seria mostrar aos investidores internacionais que o país continua empenhado em realizar um amplo ajuste fiscal para controlar as contas do governo.

Embora o déficit previsto seja superior a R$800 bilhões em 2020, Paulo Guedes está confiante em adotar medidas para contingenciar este valor.

Na B3, as companhias Gerdau (GGBR4), Gerdau Metalúrgica (GOAU4), Sulamérica (SULA11), Usiminas (USIM5) e Ecorodovias (ECOR3) lideravam os ganhos do momento.

Ás 12h58 (horário de Brasília), a Bolsa brasileira subia 0,95%, aos 97.043 pontos, com um volume financeiro de R$8,827 bilhões.

Ibovespa avança aos 97 mil com EUA-China e estímulos na UE

Acompanhe as últimas notícias do mercado financeiro:

Dólar oscila seguindo pregão de ajustes em emergentes

Principal ETF brasileiro sobe no pré-mercado em NY e outros destaques desta sexta-feira

Copasa (CSMG3) não pagará dividendo extraordinário e mais notícias de proventos

Marco do saneamento deve ser votado na próxima semana, segundo Alcolumbre


Sobre o autor