Ações

Ibovespa opera em queda com exterior e tensão política

Por Fast Trade
22 maio 2020 - 12:45 | Atualizado em 22 maio 2020 - 16:04

O Ibovespa opera em forte queda nesta sexta-feira (22), refletindo o viés negativo do exterior e o aumento da tensão política local.

A sessão de hoje é de intensa aversão ao risco, devido à disputa entre Estados Unidos e China por maior influência em Hong Kong.

Na tarde de ontem, Pequim anunciou a criação de uma nova lei de Segurança Nacional, que aumentará o controle do país sobre o território semiautônomo.

Nesse sentido, o presidente Donald Trump disse que a Casa Branca reagirá “fortemente” a qualquer ação chinesa no maior centro financeiro do mundo.

Como resultado, os mercados recuavam frente ao possível agravamento do conflito entre os dois países, que já se mostra latente em função da pandemia.

Além disso, a China decidiu não estabelecer uma meta para o Produto Interno Bruto (PIB) de 2020, reconhecendo os desafios gerados pelo Covid-19.

Essa é a primeira vez que o governo chinês não fixa uma meta numérica de crescimento desde 1994, demonstrando a dimensão dos impactos da doença.

Tensão política no Brasil e combate ao coronavírus

Por aqui, segue o clima de tensão política diante da decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, sobre a divulgação do vídeo da reunião ministerial do governo.

Nesse contexto, o decano possui até às 17h de hoje para definir se permitirá ou não que a gravação do evento seja publicada.

Lembrando que este vídeo foi apresentado pelo ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, como prova de que Jair Bolsonaro tentou interferir nos trabalhos da Polícia Federal.

Desse modo, o presidente teria alegado que a mudança de comando da superintendência do Rio de Janeiro seria para proteger seus filhos de perseguições.

Ademais, Celso de Mello enviou à Procuradoria Geral da República (PGR) três notícias-crimes apresentadas por parlamentares neste caso e solicitou depoimento de Bolsonaro e a apreensão de seu celular e do aparelho de seu filho Carlos.

Outro fator que adicionava volatilidade às negociações era o avanço exponencial do coronavírus no Brasil, que registrou mais de 310 mil casos e cerca de 20 mil mortes.

Embora a reunião com os governadores tenha amenizado os ânimos, o ataque do governo federal às medidas de isolamento poderá suscitar mais conflitos.

Na B3, as companhias Hering (HGTX3), Cogna (COGN3), Lojas Renner (LREN3), Ecorodovias (ECOR3) e Yduqs (YDUQ3) lideravam as perdas do dia.

Ás 12h45 (horário de Brasília), a Bolsa brasileira desvalorizava 1,12%, aos 82.103 pontos, com um volume financeiro de R$7,827 bilhões.

Fique por dentro das últimas notícias do mercado financeiro:

Ministro decide hoje sobre sigilo de vídeo da reunião ministerial

Bolsa brasileira é a “candidata ideal” para recuperação, diz Goldman Sachs

Novo pedido de impeachment contra Bolsonaro é protocolado por oposição


Sobre o autor