Ações

Ibovespa fecha em queda pressionado pela situação de conflito na Ucrânia

Por Fast Trade
18 fevereiro 2022 - 19:37 | Atualizado em 21 fevereiro 2022 - 06:02
ações da b3

O Ibovespa fechou em queda nesta sexta-feira (18), interrompendo a sequência de ganhos, pressionado pela situação de conflito na Ucrânia. A perspectiva de uma ofensiva da Rússia despertou um movimento de busca por proteção nos mercados globais.

Diante de tantas instabilidades, os investidores optaram por reduzir a exposição à renda variável, em sinal de cautela antes do final de semana.

Mesmo com as notícias positivas no front diplomático, a sessão foi volátil e de perdas em todos os setores. No radar, repercutiu a informação de que o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, e o ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, participarão de uma reunião na próxima semana.

+ Carteira Recomendada de Ações Fevereiro: Baixe agora!

Contudo, novos embates entre as forças militares do governo ucraniano e os rebeldes pró-Rússia deixaram a comunidade europeia em estado de alerta. A Casa Branca acredita que esta situação configura um “pretexto” para Moscou invadir o território do país vizinho.

De acordo com o embaixador americano na Organização para Segurança e Cooperação na Europa, Michael Carpenter, a Rússia possui entre 169 e 190 mil soldados nas regiões da fronteira e na Crimeia. Desse modo, as chances de haver um conflito nos próximos dias são grandes.

Como reflexo desta situação, as Bolsas de Nova York, mais uma vez, fecharam em queda. Em Wall Street, o Dow Jones caiu 0,68%, o S&P 500 recuou 0,71% e o Nasdaq Composto perdeu 1,23%.

Contexto Brasileiro

Por aqui, o vencimento de opções sobre ações limitou a repercussão da temporada de resultados corporativos. Além disso, o fator preço começou a impactar os negócios, pois, os ativos brasileiros não estão mais tão atrativos quanto estavam há algumas semanas atrás.

Apesar de o fluxo de capital estrangeiro continuar entrando em níveis elevados, o mercado tende a ficar menos resiliente aos solavancos do cenário externo. Até porque, a reprecificação das ações pode esbarrar nas incertezas já existentes no cenário doméstico, segundo explicaram os analistas.

Destaques Corporativos

Na B3, as ações da Cielo (CIEL3) dispararam mais de 12% refletindo a notícia sobre o desinvestimento na empresa de pagamentos americana Merchant E-Solutions, pelo valor de US$ 290 milhões.

Em contrapartida, as ações da Rumo (RAIL3) lideraram as perdas deste pregão após a empresa apurar prejuízo de R$ 384 milhões prejudicada pela quebra de safra.

Top 5 máximas do índice: Cielo (CIEL3), MRV (MRVE3), Banco do Brasil (BBAS3), EDP Brasil (ENBR3) e Carrefour (CRFB3).

+ Guia de A a Z de como se tornar um trader

Top 5 mínimas do índice: Rumo (RAIL3), Locaweb (LWSA3), Natura (NTCO3), Banco Pan (BPAN4) e Cosan (CSAN3).

Como resultado, o Ibovespa caiu 0,57% aos 112.879 pontos, com um volume financeiro negociado de R$ 18,981 bilhões.

Quer ficar informado de todas as novidades sobre o mercado financeiro? Então participe do Canal do Fast Trade no Telegram acessando o link: https://t.me/plataformafasttrade

Ibovespa fecha em queda pressionado pela situação de conflito na Ucrânia

Leia também:

Dólar fecha a R$ 5,13 concluindo a sexta semana consecutiva de baixa

Após o anúncio da venda da Merchant E-Solutions, ações da Cielo disparam 13%

BofA acredita que alta dos juros é positiva para os bancos e revisa recomendações


Sobre o autor