Ações

Ibovespa dispara 2,7% com ânimo externo e “acordo” político

Por Fast Trade
02 junho 2020 - 18:38 | Atualizado em 03 junho 2020 - 07:00

O Ibovespa encerrou em expressiva alta nesta terça-feira (02), reagindo ao sentimento de ânimo externo e ao acordo político de Bolsonaro com o Centrão.

No exterior, os mercados avançaram, em expectativa à reabertura dos países na Europa e de algumas regiões nos Estados Unidos.

Em Wall Street, o Dow Jones subiu 1,05%, o S&P 500 avançou 0,82% e o Nasdaq Composto cresceu 0,59%.

Nesse clima positivo, os investidores foram em busca de oportunidades na renda variável, o que ofuscou a onda de protestos violentos nos EUA.

Em reação ao assassinato do homem negro, George Floyd, por um policial branco de Minneapolis, diversas cidades entraram em convulsão social.

Em reação, o presidente Donald Trump ameaçou utilizar as forças militares para conter as manifestações, que se espalharam por todo país.

Nesse contexto de grandes turbulências, o recuo da China na suspensão de compras de produtos agrícolas americanos foi uma notícia que trouxe alívio às negociações.

Desse modo, o governo chinês anunciou que seguirá com as importações de soja e outros gêneros dos EUA, cumprindo o acordo comercial.

Ainda no front internacional, os preços do óleo bruto subiram vertiginosamente após a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e a Rússia acertarem a ampliação do período de cortes na produção.

Da mesma forma, a Arábia Saudita sinalizou que deverá controlar seus níveis de produção por até três meses, visando contribuir com a estratégia.

Assim, as cotações da commodity energética fecharam nas máximas em três meses, impulsionando a valorização das ações da Petrobras (PETR3/ PETR4).

Também no radar, o mercado segue apostando que o movimento de recuperação da economia global será forte já a partir do segundo semestre deste ano.

Além disso, Alemanha e França deliberaram sobre a concessão de um novo pacote de auxílio aos países da União Europeia atingidos pelo Covid-19.

Acordo de Bolsonaro com o Centrão e noticiário político

Conforme informações divulgadas na tarde de hoje, o governo liberou R$6,2 bilhões em recursos para serem empregados em emendas parlamentares, somente no mês de abril.

Nesse sentido, além dos cargos que já foram distribuídos para membros dos partidos que compõem o chamado “Centrão”, Jair Bolsonaro está cumprindo o acordo para aumentar a sua base de apoio no Congresso.

Consequentemente, esse aceno do presidente evidenciou uma redução no conflito político-institucional que gerou sérias turbulências nas últimas semanas.

Outro ponto que contribuiu com o bom humor do momento foi a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, de arquivar o pedido de alguns partidos para apreender os celulares de Bolsonaro e de seu filho, Carlos.

Na B3, as companhias Cogna (COGN3), Gol (GOLL4), Iduqs (IDUQ3), Usiminas (USIM5) e CVC (CVCB3) registraram as máximas do dia.

Como resultado, a Bolsa brasileira disparou 2,74% na faixa de 91.046 pontos, com um volume financeiro de R$22,938 bilhões.

Ibovespa dispara 2,7% com ânimo externo e “acordo” político

Acompanhe as últimas notícias do mercado financeiro:

Dólar fecha a R$5,21 com exterior e alívio na margem política

Mercado de petróleo fecha no maior nível em 3 meses

Vazamento de dados pessoais é “intimidação”, diz Bolsonaro


Sobre o autor