AgronegócioHome

IBGE prevê aumento na produção de grãos, leguminosas e oleaginosas de 1,9% em 2019

Por Eloiza Amaral
12 fevereiro 2019 - 11:52
PIB do agronegócio

Segundo Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), divulgado nesta terça-feira (12) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a produção de grãos, leguminosas e oleaginosas deve aumentar 1,9% se comparada à 2018.

No total serão produzidos 230,7 milhões de toneladas, o que representa 4,2 milhões a mais do que no ano passado. Caso os dados sejam confirmados esta será a segunda maior safra registrada pelo levantamento desde o início das marcações em 1975.

Baixe o E-book O Guia Completo de Como Ter Sucesso Nas Operações de Day Trade

Mesmo com quedas nas safras de soja, esta expectativa está sendo puxada pela colheita de milho, que deve ser plantada mais cedo este ano. A área plantada de milho será 3,6% maior que em 2018, elevando a produção em 9,9%.

Segundo o gerente da pesquisa, Carlos Alfredo Guedes: “A soja foi plantada mais cedo ano passado, com isso teremos um período maior da chamada janela de plantio para o milho 2ª safra. Isso possibilita menor risco para o desenvolvimento das lavouras”, explicou.

Baixe o Infográfico: 5 motivos – Por Que Investir na Bolsa Agora É Um Bom Negócio

A área do milho teve crescimento de 3,6%, a de soja aumentou 2% e a de arroz caiu 6,6%. Na produção, enquanto o milho tende a ter aumento de 9,9% de sua colheita, soja e arroz devem ter quedas de, respectivamente, 2,6% e 5%.

As commodities mais importantes são soja e milho e representam 88,5% da produção agrícola do Brasil. Em terceiro lugar, o arroz, apesar de ser o principal produto da safra nacional responde por apenas 4,8% da produção.

A distribuição regional é feita da seguinte forma:

Região

Distribuição
Centro Oeste 101,0 milhões de toneladas – 44,2%
Sul 77,5 milhões de toneladas – 33,6%
Sudeste 23,1 milhões de toneladas – 10%
Norte 18,9 milhões de toneladas – 4%
Nordeste 18,9 milhões de toneladas – 8,2%

Em relação a 2018, ocorreram aumentos de 1,2% na Região Centro-Oeste, de 4,0% na Região Sul, de 0,8% na Região Sudeste, de 3,8% na Região Norte, e queda de 1,6% na Região Nordeste.

Baixe o e-book: Desvendando o swing trade: tudo o que você precisa saber!

O gerente ainda destacou que “A produção de soja caiu em aproximadamente 4 milhões de toneladas por causa dos problemas climáticos, sobretudo no Paraná e no Rio Grande do Sul. O Paraná, inclusive, deixou de ser o segundo estado mais produtor de soja do país, com o Rio Grande do Sul assumindo o seu lugar”.

O levantamento completo você encontra aqui

Relatório gratuito – Banco do Brasil: O gigante acordou

 


Sobre o autor