EconomiaHome

IBC-Br recua em julho, validando aposta de juro menor na quarta, dizem traders

Por TradersClub
13 setembro 2019 - 10:54
atividade econômica (prévia do PIB); Banco Central
Foto: Arquivo Istoé

O investidor deve aumentar a aposta em um corte na taxa básica de juros Selic na semana que vem após o nível de atividade da economia brasileira registrar queda em julho, primeiro mês do terceiro trimestre, disseram traders e gestores.

Nesta sexta-feira, o Banco Central disse que o Índice de Atividade Econômica do BC, conhecido como IBC-Br, recuou 0,16% em julho na base mensal e após ajuste sazonal. O consenso esperava retração de 0,3% – a primeira em três meses. Considerado uma prévia dos dados de crescimento do PIB publicados pelo IBGE, o IBC-Br do BC mostrou variação anual de 1,31%, acima do consenso de uma alta de 0,55%.

O contrato do DI para janeiro próximo, que reflete as expectativas para a Selic no final deste ano, recuou 1 ponto-base para 5,25%, nova mínima histórica intradia, após a divulgação do IBC-Br. O contrato futuro do DI para janeiro de 2021, o mais líquido na B3, cedeu 2 pontos-base e operava a 5,32% às 09h20. A curva ajustava os prêmios de risco para baixo tanto nos vencimentos curtos quanto nos longos, sinalizando não somente o dado do IBC-Br, mas também notícias de menor tensão comercial entre os Estados Unidos e a China.

Os investidores esperam que a Selic chegue a 5,00% ao ano ou menos nos próximos meses. Em relatório divulgado na manhã de hoje, o Bank of America Merrill Lynch diz esperar que o BC mantenha uma política agressiva de reduções nos juros, na esteira de mais lenta recuperação da economia brasileira em duas décadas. Mesmo com o impacto positivo gerado pela agenda pró-mercado e pró-negócios do governo do presidente Jair Bolsonaro e da passagem da Reforma da Previdência – e a discussão de outras no Congresso Nacional, o BofA pondera que há a necessidade de mais incentivos e estímulos para os investimentos no setor privado e no consumo.


Sobre o autor