EconomiaHome

Governo propõe aumento do salário mínimo para R$1.040 em 2020, mas sem aumento real

Por Eloiza Amaral
15 abril 2019 - 15:45
Estados Unidos devem R$134 milhões ao sistema previdenciário do Brasil

Através do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), divulgado nesta segunda feira (15), o governo propões um salário mínimo de R$1.040 para 2020. Se o reajuste for aprovado pelo Legislativo, o pagamento começará a ser feito a partir de fevereiro do próximo ano.

Os valores propostos para 2021 e 2022 são de R$1.082 e de R$1.123, respectivamente.

Manual do Imposto de Renda para Investidores

Para conter os gastos públicos, as alterações não contarão com um aumento real, afinal só irão levar em conta o aumento da inflação, através da estimativa do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (INPC) que atualmente é de 4,2%.

O sistema de ajustes para o salário mínimo fixado em 2007, leva em consideração o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos anteriores mais a inflação de um ano atrás. Técnicos do Ministério da Economia acreditam que com o novo modelo será possível haver um saldo positivo no próximo ano de R$7,6 bilhões.

Para o coordenador de Relações Sindicais do Dieese, José Silvestre, o salário mínimo tem demonstrado ser um instrumento de melhoria do ponto de vista da renda, de redução de desigualdade e de estímulo às economias municipais.

E-book: Guia completo e definitivo da Previdência Privada

O piso nacional é referência para o pagamento de benefícios previdenciários, assistenciais e trabalhistas. Mais de 65% dos benefícios pagos pelo INSS em janeiro deste ano tem valor de um salário mínimo, o que representa um contingente de 22,9 milhões de pessoas.


Sobre o autor