HomePolítica

Governo pode reduzir preço do gás em 50%

Por Pablo Vinicius Souza
21 junho 2019 - 10:28

O governo federal se prepara para lançar nos próximos dias o programa “Novo Mercado de Gás”, para reanimar a economia.

Desse modo, a equipe de Bolsonaro cumprirá a promessa do choque da energia barata e enfrentará os monopólios.

Assim sendo, o governo aumentará a concorrência do mercado, aproveitando o aumento da oferta do gás, oriundo das áreas do pré-sal, para tentar reindustrializar o País, de acordo com a Folha de S. Paulo.

Entre os que mais investiram no país entre 2006 e 2018 estão os Estados de Alagoas, Ceará e Espirito Santo.

Conforme publicação do jornal O Globo, os dispêndios totalizaram R$ 381 por habitante após melhorarem seus gastos fiscais.

Em contrapartida, os mais endividados – Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas Gerais – foram os que menos gastaram, totalizando R$ 91 por habitante.

O Estado sinalizou que o ministro da Economia, Paulo Guedes, quer alcançar uma queda de 50% no preço do gás.

Dados publicados pela Associação Brasileira de Grandes Consumidores de Energia (Abrace) indicam que, atualmente, a indústria paga US$ 11 por milhão de BTU, isto é, mais que o dobro do valor pago nos EUA, de US$ 4.

Com os preços competitivos, a entidade afirma que o crescimento anual do PIB pode aumentar 1%, além de gerar 12 milhões de empregos em dez anos.

Para ir na contramão do governo Temer, que tentou promover a abertura do mercado por meio de uma lei no Congresso Nacional, a equipe de Bolsonaro opta por medidas infralegais, que não precisam de aprovação por parte dos parlamentares.

Leia mais:

Indicadores econômicos: sem agenda local relevante, PMI norte-americano é destaque

‘Reforma da Previdência não é minha, é do Brasil’

Bolsonaro pede pressão popular em prol do decreto de armas

Bolsonaro tira general do governo e coloca nos Correios

Audiência de Moro no Senado é comparada com inquisição

Reino Unido apoia ingresso do Brasil na OCDE


Sobre o autor