HomePolítica

Governo perde popularidade no mercado financeiro e Congresso melhora posicionamento

Por Pablo Vinicius Souza
28 maio 2019 - 10:30
Estados e municípios, governo Bolsonaro

A variação no mercado financeiro tem sido diretamente impactada pela política.

Nesse sentido, a XP Investimentos realizou um levantamento junto a 79 gestores de recursos, bem como economistas e consultores.

O resultado indica que a aprovação do governo Bolsonaro recuou diante dos agentes do mercado financeiro, entre abril e maio.

De acordo com a pesquisa realizada entre os dias 22 e 24 deste mês, o percentual daqueles que consideram o governo bom ou ótimo caiu de 28% para 14%. Por consequência, o índice daqueles que avaliam o governo como ruim ou péssimo, saltou de 24% para 43%.

Assim também, a expectativa quanto a aprovação da reforma da Previdência continua elevada.

80% do montante consultado acredita que a proposta será aprovada neste ano, mantendo o porcentual registrado na pesquisa de fevereiro.

Apesar do otimismo, a XP indicou expectativa mediana desidratada quanto a economia da reforma (R$ 700 bilhões em 10 anos).

Ademais, a maior parte dos agentes consultados acredita na votação da comissão especial entre junho e julho (80%). O restante avalia que o processo deve ocorrer entre agosto e dezembro.

Por fim, a aprovação final no Congresso acontecerá só no quarto trimestre (71%). Entre os consultados, 19% acreditam na aprovação ainda no terceiro trimestre. Os demais entendem que a reforma da Previdência postergará até 2020 ou depois.

Por outro lado, o Congresso Nacional melhorou em relação a abril diante da análise do mercado financeiro. Segundo a XP, o porcentual de agentes que consideram como ótima ou boa a atuação do Congresso mais que dobrou, passando de 15% para 32%.

Sob o mesmo ponto de vista, o Parlamento viu sua aprovação melhorar, reduzindo a avaliação negativa de 40% para 25%.

Leia mais:

Tesouro IPCA+ com vencimento em 2035 e 2045 rendem mais que o Ibovespa entre jan/abr

Saiba quais são os principais compromissos econômicos globais para esta terça-feira

Impactos no mercado provocados pela aprovação da reforma da Previdência, segundo a XP

Braskem desembolsará mais R$ 410 milhões após acordo de leniência com CGU e AGU


Sobre o autor