HomePolítica

Governo liberou R$ 2,6 bilhões em emendas às vésperas da votação da reforma, diz oposição

Por Pablo Vinicius Souza
10 julho 2019 - 11:00

De acordo com a oposição, o governo liberou R$ 2,6 bilhões em emendas nos seis primeiros dias úteis de julho.

A intensificação é percebida às vésperas da votação da reforma da Previdência e os parlamentares esperam que aumente nos próximos dias, a fim de garantir a aprovação da matéria.

Em junho, o gabinete do líder da oposição, Alessandro Molon (PSB-RJ), revelou que foi empenhado R$ 1,5 bilhão.

De acordo com o Estadão, os deputados falam abertamente sobre o assunto no plenário da Câmara.

Segundo eles, o governo está correndo para chegar até a cifra de R$ 4 bilhões das emendas nos próximos dias e, por isso, o governo liberou R$ 2,6 bilhões nos últimos dias.

A liderança que fala sobre o assunto sob reserva, destacou o portal de notícias, insiste que o Palácio do Planalto tem esse acordo para honrar quanto às emendas impositivas.

Isso refere-se aos recursos que os parlamentares têm direito de destinar às suas bases.

Diante da acusação, Bolsonaro publicou na noite de ontem uma mensagem afirmando estar “apenas cumprindo o que a lei determina”.

“Por conta do orçamento impositivo, o governo é obrigado a liberar anualmente recursos previstos no orçamento da União aos parlamentares e a aplicação destas emendas é indicada pelos mesmos”, escreveu.

Embora a União seja de fato obrigada a liberar esses recursos, o Planalto pode controlar o momento de serem empenhadas.

Além disso, o levantamento mostra que houve “picos” de liberação em momentos importantes para o trâmite da reforma da Previdência.

Entre os dias 4 e 5 de julho, quando a Comissão Especial apreciou e aprovou o relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), foi empenhado a cifra de R$ 1,6 bilhão dos R$ 2,6 bilhões liberados em julho.

Leia mais:

Indicadores econômicos: IGP-M; IPCA; fluxo cambial; estoques dos Estados Unidos e mais

Nova Previdência já tem votos para ser aprovada; sessão recomeça hoje

O cabo de guerra da reforma Tributária

Novo capítulo na polêmica das conversas vazadas entre membros da força-tarefa Lava Jato


Sobre o autor