Mercados

Goldman prevê aumento nos preços do petróleo e eleva a cotação do barril a US$90

Por Fast Trade
27 setembro 2021 - 15:57 | Atualizado em 27 setembro 2021 - 17:08
alta com Petrobras

O Goldman Sachs projetou um aumento nos preços do petróleo, elevando a cotação do barril a US$90 em meio a escassez na oferta. Segundo os analistas do banco, a recuperação na demanda por combustível, os riscos da variante Delta e os impactos do furacão Ida contribuíram com este cenário.

“Embora tenhamos mantido por muito tempo uma visão otimista do petróleo, o atual déficit global de oferta e demanda é maior do que esperávamos” – explicou o relatório do banco.

Nesse sentido, a análise está de acordo com a trajetória do ativo, que, pela quinta vez consecutiva, registrava ganhos neste pregão. O barril de petróleo Brent já estava perto de US$80 o barril, enquanto o WTI tinha negociação na faixa de US$75.

+ Guia de A a Z de como se tornar um trader

Na semana passada, a cotação da commodity fechou nas máximas em quase três anos, em reação às interrupções na produção global. Acima de tudo, o movimento de alta havia sido amortecido após a China efetuar a primeira venda pública de reservas estatais.

Desse modo, o mercado está avaliando os potenciais impactos de longo prazo no fornecimento de óleo bruto, considerando a ampla redução da oferta de um modo geral. E mesmo com a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) elevando a produção, ainda haverá escassez.

Por isso, na visão do Goldman, os preços devem passar por novos reajustes nas próximas semanas, o que acaba tornando este ativo muito interessante para os investidores.

Quer ficar informado de todas as novidades sobre o mercado financeiro? Então participe do Canal do Fast Trade no Telegram através do link: https://t.me/plataformafasttrade

Goldman prevê aumento nos preços do petróleo e eleva a cotação do barril a US$90

Leia também:

Petrobras e BB estão no planejamento de privatizações do governo, diz Guedes

Bolsa brasileira tem viés positivo de olho nos bancos e na Evergrande; dólar sobe

Boletim Focus: projeção do PIB para 2022 cai pela quarta vez consecutiva


Sobre o autor