Mercados

Futuros do petróleo avançam 2% com compromisso da Opep+

Por Fast Trade
14 outubro 2020 - 17:00 | Atualizado em 14 outubro 2020 - 18:39

Os contratos futuros do petróleo estenderam os ganhos da véspera, impulsionados pelas discussões em tom positivo sobre o cumprimento do acordo de cortes de produção.

Nesse contexto, Arábia Saudita e Rússia reiteraram o compromisso da Organização dos Países Produtores de Petróleo e seus aliados (Opep+) para equilibrar oferta e demanda.

Em contrapartida, um relatório da Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) limitou os ganhos da commodity ao enfatizar os temores sobre os impactos dos novos casos de coronavírus a nível global sobre a demanda por petróleo.

Com isso, o WTI para novembro avançou 2,01%, e encerrou o dia cotado a US$ 41,04 por barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York. Por sua vez, o Brent para dezembro subiu 2,04% na sessão, elevando a cotação da referência para US$ 43,32 o barril, na ICE, em Londres.

Baixa gratuitamente o relatório especial sobre os Fundos Imobiliários

Em nota, o analista sênior de commodities da Schneider Electric, Robbie Fraser, destacou o movimento da Rússia e da Arábia Saudita. “A Opep+ parece permanecer comprometida com cortes na produção de acordo com seus líderes de fato”, avaliou ele.

A decisão gera impacto positivo nas cotações dos futuros do petróleo, que vinham sendo pressionados pelos temores sobre o desequilíbrio da oferta e demanda.

Ademais, a decisão nivela uma cooperação mais fraca de alguns membros do grupo, “bem como da perspectiva de aumento da produção da Líbia”. Segundo ele, embora a Líbia continue integrando a Opep, o país se encontra atualmente isento do acordo da Opep+ que está em curso.

Baixe gratuitamente: O que ninguém conta sobre os investimentos em ações

Arábia Saudita e Rússia, os principais drivers para os futuros do petróleo no pregão

A Agência de Imprensa Saudita oficial informou que o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, e o presidente russo, Vladimir Putin, se falaram.

Essa dupla teria conversado na véspera (13) por telefone e concordado com “a importância de todos os países produtores de petróleo continuarem cooperando e obedecendo ao acordo Opep+ para atingir essas metas”. De acordo com a Saudi Press Agency, conforme reportagem do Valor Econômico, a continuidade seria benéfica o tanto para os produtores quanto os consumidores.

Por fim, a Agência Internacional de Energia (AIE) informou que a oferta mundial de petróleo recuou 600 mil de barris por dia (bpd) em setembro. A queda derrubou o saldo para 91,1 milhões de bpd, refletindo o corte de produção nos Emirados Árabes Unidos, segundo o relatório.

Baixe agora: Guia de A a Z de como se tornar um trader!

Quer ficar por dentro de quais empresas vão distribuir juros sobre o capital próprio? Participe canal do Fast Trade no Telegram através do link: https://t.me/plataformafasttrade. É gratuíto!


Sobre o autor