Ações

Futuros abrem amenos após pessimismo da véspera

Por TradersClub
09 setembro 2021 - 10:01 | Atualizado em 09 setembro 2021 - 10:01
pessimismo da véspera

São Paulo, 9 de setembro – Os futuros de índice Bovespa e dólar americano abriram a sessão na B3 em correção tímida dos movimentos de pessimismo da véspera, enquanto os juros futuros continuavam estressados após dados do IPCA de agosto superarem os consensos

LEIA: O que é Ibovespa futuro e como funciona esse investimento?

Por volta das 09h10, o Ibovespa futuro avançava 0,49%, aos 114.390 pontos, enquanto o minicontrato de dólar recuava 0,30%, aos R$5,319. A curva do DI mostrava aumento da percepção de risco, em alta de até 12 pontos-base, após os dados de inflação do IPCA de agosto atingirem 0,87% enquanto os consensos apontavam para 0,71%.

Contribui também para a abertura positiva a melhora nos ativos de risco no cenário internacional, especialmente após o Banco Central Europeu anunciar que manterá o ritmo de estímulos até março de 2022 ou até “o fim da pandemia”. Os futuros de S&P500, Dow Jones e Nasdaq apagavam perdas e operavam próximos à estabilidade, enquanto o dólar perdia força contra a maioria das moedas observadas.

Traders mencionaram que a alta no Ibovespa futuro parece mais um movimento técnico de correção, após os contratos registrarem o pior dia em seis meses na véspera, do que reflexo de uma melhora no cenário geral. O investidor fica de olho no agravamento ou amenização dos movimentos de paralisação de caminhoneiros em defesa de Jair Bolsonaro, e em declarações de autoridades políticas sobre pacificação entre Poderes.

LEIA: Veja como declarar ganhos e perdas de day trade no Imposto de Renda

Para a abertura do mercado à vista, o mercado estará atento aos papéis que mais sofreram na véspera, como bancos, que registraram suas piores quedas pelo menos desde março, e os setor imobiliário, de varejo e as empresas de tecnologia. Cabe destaque para a abertura dos papéis de companhias aéreas, após a Azul anunciar demanda por voos domésticos em agosto maior que no mesmo mês de 2019, antes da pandemia. Mais informações no Panorama Corporativo.

Pessimismo da véspera


Sobre o autor