EmpresasHome

Fleury, Itaú e Cielo falam de dividendos, dívida e recompra de ações relâmpago

Por Bruna Santos
20 fevereiro 2020 - 09:37

Grupo Fleury (FLRY3) se prepara para distribuir o equivalente a R$ 197,795 milhões sob a forma de dividendos.

De acordo com o comunicado enviado na quarta-feira (19) pela companhia, o montante corresponde a R$ 0,62428363855 por ação.

Assim sendo, para que o investidor tenha o direito de receber o provento, será preciso estar posicionado em 26/03/2020.

Posteriormente, as ações do Grupo Fleury passarão a ser negociadas na condição “ex” dividendos a partir de 27 de fevereiro.

O pagamento, por sua vez, está previsto para ocorrer poucos dias após, em 03 de abril de 2020.

Por outro lado, o Itaú Unibanco (ITUB4) informou ao mercado a emissão de US$ 700 milhões em notas subordinadas perpétuas à taxa fixa de 4,625% ao ano.

Segundo a instituição monetária, essas notas terão validade o 5º aniversário da operação, marcada para o dia 27 de fevereiro.

A cada cinco anos essa taxa de juros será recalculada em cima do juro dos títulos emitidos pelo Tesouro dos Estados Unidos para o mesmo período.

O Itaú destacou que o preço foi de 100% de seu valor de face, mas também que as notas foram oferecidas somente a investidores institucionais qualificados.

Por fim, a Cielo (CIEL3) planeja recomprar até 4,006 milhões de ações em circulação no mercado em uma operação relâmpago.

Com intermédio da Ágora, as recompras ocorrerão apenas entre os dias 2 e 10 de março.

Baseado no valor atual de R$ 7,35 por papel, essa operação pode girar em torno de R$ 30 milhões.

Em nota emitida ao mercado, a Cielo explicou que a recompra dessas ações tem como propósito fazer frente aos seus compromissos no “âmbito dos programas de remuneração, retenção e incentivo de seus colaboradores e administradores.


Sobre o autor