EmpresasHome

Fibria (FIBR3) – resultado do terceiro trimestre de 2018

Por Eduardo Guimarães
24 outubro 2018 - 10:44
SUZB3

A Fibria divulgou bom resultado no terceiro trimestre, beneficiada pela alta da taxa de câmbio (dólar médio 25 por cento mais elevado em relação ao mesmo período de 2017), níveis recordes de produção de celulose (aumento de 25 por cento) e preço elevado da commodity no mercado internacional (cerca de 1.050 dólares por tonelada no norte da Europa).

Apesar do excelente resultado, esperamos impacto neutro no preço das ações da Fibria no curto prazo, pois o principal catalisador das ações fica com a aprovação da fusão com a Suzano.

Os principais destaques positivos do resultado ficaram por conta da forte margem Ebitda (Geração bruta de caixa operacional) de 63 por cento, geração de caixa livre (antes dos investimentos) de 1,5 bilhão de reais e redução do nível de endividamento (relação dívida líquida/Ebtida) de 1,33 vezes no final de setembtro deste ano.

As ações da Fibria (FIBR3) e da Suzano (SUZB3) apresentam uma correlação positiva com o comportamento da taxa de câmbio, ou seja, o dólar em alta impacta positivamente a cotação das ações das duas empresas exportadoras de celulose.

Em relação à fusão das companhias, depois da aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) aqui no Brasil, nos EUA, na China e outros países, agora falta apenas a aprovação dos órgãos de defesa econômica (anti-truste) da Europa. A transação deverá ser concluída até o final de 2018 e os acionistas de Fibria passarão a ser acionistas também da Suzano.

Leia também:

Bolsonaro lidera com 57% e faz frente à instabilidade internacional

A três pregões da definição eleitoral, há ponderação e teste de confiança dos investidores


Sobre o autor