AgronegócioHome

FCStone aumenta expectativas para a safra de soja em 2,4% para 115,7 milhões de toneladas

Por Eloiza Amaral
01 abril 2019 - 16:48
soja brasileira; agronegócio
Foto: Federação das Industrias do Estado do Paraná.

A consultoria NTL FCStone informou nesta segunda feira (1), que a safra de soja 2018/19 do Brasil, que já está na última fase da colheita, totalizará 115,7 milhões de toneladas. A quantidade representa um aumento de 2,4% em relação à estimativa de 113 milhões de toneladas feita no mês passado.

Saiba quais são os principais compromissos econômicos globais para esta semana

Com o aumento da safra, o país terá mais da commoditie para exportar e com isso a consultoria acredita que podem ser levados para o exterior 71,5 milhões de toneladas do grão. A Companhia Nacional do Abastecimento (Conab) estimava que seriam embarcadas 70 milhões de toneladas.

A analista de mercado da INTL FCStone, Ana Luiza Lodi afirma que ‘’por enquanto, os embarques da oleaginosa estão bastante aquecidos, mas destaca-se que esse número ainda pode sofrer mudanças significativas, em decorrência principalmente do andamento das negociações comerciais entre Estados Unidos e China”.

Com a crise comercial entre os dois países, o Brasil se tornou o principal exportador de soja para a China, mas a situação pode mudar caso as potências reatem os laços. Segundo o Cepea, do total exportado pelo Brasil em fevereiro, 82,4% ou 5,02 milhões de toneladas, foi destinado à China.

Manual do Imposto de Renda para Investidores

No entanto, hoje pela manhã o Departamento de Agricultura norte-americano confirmou que vendeu 828 mil toneladas de soja dos EUA para a China. Durante as negociações, o país asiático retomou a compra da commoditie do rival para agilizar o término da crise, mas a quantidade permaneceu abaixo das observadas no período de amistosidade.

Vale ressaltar, que durante a disputa os estoques de soja dos Estados Unidos atingiram níveis recordes, e mesmo com a retomada das transações as expectativas para a quantidade guardada do produto continua abaixo de 1 milhão de toneladas.


Sobre o autor