HomePolítica

Equipe econômica quer ajustar relatório da reforma da Previdência

Por Pablo Vinicius Souza
17 junho 2019 - 10:30

O ministro da Economia, Paulo Guedes e sua equipe vão tentar negociar algumas mudanças no relatório da reforma da Previdência.

Tanto o deputado e relator da proposta, Samuel Moreira (PSDB-SP) quanto o secretário Especial de Previdência, Rogerio Marinho, já conversaram.

Embora o encontro tenha sido informal, Moreira sinalizou ao Estado que está aberto ao diálogo, indicando que o relatório está sujeito a mudanças. “Não é um decreto”, disse ele.

“Vou para o diálogo novamente”, completou.

Moreira e sua equipe devem se encontrar nesta segunda-feira (17). Anteriormente, Marinho se reuniu com técnicos para uma análise dos pontos que poderão sofrer ajustes, segundo o Estado.

No sábado, Bolsonaro disse, ao ser questionado sobre a reforma da Previdência, que “a bola está com o parlamento”.

“Se perder no voto, paciência. Vamos respeitar, disse ele.

De acordo com o Valor Econômico, o relatório apresentado pelo relator Samuel Moreira intensifica a carga tributária que atinge diretamente a B3, colocando a alíquota da Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL) em 20% sobre Bolsas de valores, mercadorias e futuros.

Embora a proposta imponha a mesma alíquota de bancos, a elevação da carga tributária para as Bolsas é ainda maior.

Na legislação atual, definida pela lei 7989/1988, essas entidades possuem alíquota de 9%.

Na última sessão, as ações da B3 caíram 5,3%, mas podem reagir com a sinalização de que o ministério da Economia planeja novos reajustes ao texto.

Leia mais:

Indicadores econômicos: Boletim Focus; IPC-S; atividade industrial Empire State e mais

Demissão de Levy dificulta ambiente de estabilidade no mercado

Para estimular competitividade, governo pode reduzir imposto para produtos de tecnologia


Sobre o autor