EconomiaHome

Endividamento e inadimplência melhoram em janeiro; produção de veículos recua e outros

Por Bruna Santos
07 fevereiro 2020 - 10:14

O endividamento e a inadimplência das famílias brasileiras recuaram no começo de 2020, conforme a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

De acordo com a publicação, o recuo se deu em virtude de um cenário de juros baixos, inflação controlada, melhor acesso ao crédito e sinais de favoráveis no emprego.

O percentual de famílias endividadas recuou de 65,6% para 65,3% entre dezembro do ano passado e janeiro deste ano.

Embora o levantamento ainda opere acima de janeiro de 2019 (60,1%), o resultado é positivo.

Além disso, os endividados sem condição de quitar dívidas contraiu de 10% para 9,6% em igual período de comparação.

A parcela de renda mensal comprometida com dívidas atingiu o menor percentual desde maio de 2019 (29,3%), com 29,4%.

Segundo a Anfavea, a produção de veículos no Brasil caiu 3,9% em janeiro na comparação anual, somando 191,4 mil unidades.

Em contrapartida, houve um aumento de 12,2% em relação ao mês de dezembro. As vendas de janeiro, por sua vez, acompanharam o ritmo das linhas de montagem, segundo informou a entidade que representa as montadoras.

No continente asiático, as reservas internacionais chinesas atingiram em janeiro o maior patamar em sete meses.

Segundo dados publicados hoje pelo PBoC, como é conhecido o Banco Central chinês, as reservas da segunda maior economia do mundo totalizavam US$ 3,115 trilhões ao final do mês passado, isto é, +US$ 7,57 bilhões em relação ao mês anterior.

A Alemanha registrou superávit em sua balança comercial de 15,2 bilhões de euros em dezembro de 2019.

Com os ajustes sazonais, a maior economia da Europa teve superávit comercial de 19,2 bilhões de euros no período, informou a agência de estatísticas do país, a Destatis.


Sobre o autor