Dólar e índiceHome

Dólar salta a R$4,35 e bate novo recorde de fechamento

Por Pablo Vinicius Souza
12 fevereiro 2020 - 19:47

O dólar comercial subiu 0,60% nesta quarta-feira (12), na cotação de R$4,3510 na venda, alcançando novo recorde de fechamento.

Esta é a quinta alta consecutiva da divisa americana, que ganhou força com os dados decepcionantes das vendas no varejo mensuradas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em dezembro, o varejo restrito recuou 0,1% em relação ao desempenho de novembro, contrariando as previsões dos analistas, que indicavam alta de 0,2%.

Já o resultado do varejo ampliado foi ainda menor, caindo 0,8% no período, o que reforça o ritmo lento e gradual de recuperação das atividades no Brasil.

A desvalorização do real desviou do comportamento de seus pares emergentes no exterior, que subiram contra a moeda dos EUA, fazendo um pregão de alívio com as notícias de possível controle do coronavírus.

A divisa brasileira tem sido influenciada pela atual conjuntura macroeconômica, de desempenho fraco na economia e juros mais baixos.

Mesmo após a sinalização do Banco Central para a interrupção do ciclo de cortes na taxa Selic, crescem as apostas de que haverá a adoção de mais estímulos no curto prazo.

Na medida em que o diferencial de juros entre Brasil e Estados Unidos diminui, o real perde em atratividade e isso pressiona a sua queda.

Juros Futuros

Na renda fixa, os contratos de juros futuros encerraram nas mínimas, com os vértices de curto prazo refletindo os indicadores decepcionantes no setor de serviços.

Com o dólar testando os maiores níveis da história, os DIs intermediários e mais longos perderam força, apresentando um movimento de queda mais contido.

O DI dezembro/2020 recuou para 4,19% (4,22% no ajuste anterior), o DI outubro/2024 caiu para 5,99% (6,04% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2028 declinou para 6,52% (6,55% no ajuste anterior).


Sobre o autor