Dólar e índice

Dólar registra forte alta em ajuste à redução da Selic

Por Fast Trade
07 maio 2020 - 11:50 | Atualizado em 07 maio 2020 - 13:14
DOLFUT: Em dia de ata do Copom, dólar cai com exterior e à espera de falas de diretores do Fed

O dólar comercial opera em expressiva alta nesta quinta-feira (07), fazendo uma sessão de ajustes à redução da Selic.

Ontem, após o fechamento do mercado, o Comitê de Política Monetária (Copom) divulgou sua decisão pelo corte de 0,75% na taxa básica de juros, que passou a ser aplicada a 3% ao ano, na mínima histórica.

Além disso, o comunicado do Banco Central sinalizou para a possibilidade de haver nova redução na próxima reunião do Comitê, agendada para junho.

Nesse sentido, a postura da instituição surpreendeu os investidores, pois, o corte ultrapassou, até mesmo, as previsões mais agressivas.

Inclusive, algumas casas de análise acreditam que a Selic deve alcançar níveis inferiores a 2% até o final do ano, embora o BC tenha se mostrado disposto a encerrar a flexibilização devido aos riscos fiscais e os efeitos sobre os ativos no Brasil.

Desse modo, tal perspectiva tende a achatar o diferencial de juros entre o Brasil e o exterior, o que diminui, consideravelmente, a atratividade do real.

No entanto, as demais moedas emergentes estão seguindo trajetória contrária, apreciando em relação à divisa americana, graças ao aumento inesperado nas exportações da China.

Ademais, a aprovação da PEC do Orçamento de Guerra com a desidratação promovida pela Câmara, também gerava preocupações do ponto de vista fiscal e impactava as movimentações do câmbio.

Nesse contexto de crise política e sanitária, a moeda brasileira tende a desvalorizar no curto prazo, até esbarrar na fronteira psicológica de R$6 por dólar.

Ás 11h49 (horário de Brasília), o dólar comercial avançava 2,96% contra o real, sendo cotado a R$5,8730 na venda.

Juros futuros refletem Copom

Na renda fixa, os contratos de juros futuros apresentavam comportamentos mistos, com as taxas de curto prazo caindo em atenção ao corte da Selic.

Da mesma forma, os DIs de longo prazo avançam, adicionando as perspectivas de fraqueza econômica e maior risco fiscal após a pandemia.

O DI novembro/2020 caía 7,49% sendo negociado a 2,59% (2,73% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2025 subia 2,17% sendo vendido a 6,59% (6,40% no ajuste anterior).

Dólar registra forte alta em ajuste à redução da Selic

Fique por dentro das últimas notícias do mercado financeiro:

Banco do Brasil contabiliza lucro líquido ajustado de R$ 3,4 bi no 1T20

Renúncia de Moro pode dificultar entrada do Brasil na OCDE, diz organização

Selic chega a piso histórico de 3% a.a. após corte de 0,75%; Copom já prevê novo ajuste


Sobre o autor