Dólar e índice

Dólar recua de olho em indicadores locais e correção externa

Por Fast Trade
29 junho 2020 - 12:10 | Atualizado em 29 junho 2020 - 13:20

O dólar comercial opera em queda nesta segunda-feira (29), refletindo a divulgação dos indicadores locais e o movimento de correção no exterior.

Os investidores repercutiram o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) mensurado em junho, que avançou 1,56%, superando as projeções de alta em 1,47% do Broadcast.

Além disso, no cenário interno, a confiança da indústria subiu para 77,6 pontos em junho, registrando um crescimento de 16,2 em relação a maio.

Essa foi a maior alta da série histórica de sondagem iniciada em 2001, apesar de ainda estar em níveis abaixo do reportado no período pré-pandemia.

Outro fator de peso foi a pesquisa Focus do Banco Central, que revisou as estimativas do Produto Interno Bruto (PIB) indicando uma contração 6,54% em 2020.

Nesse sentido, a surpresa ficou com as previsões para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que aumentaram de 1,61% para 1,63% no ano.

Embora as condições macroeconômicas não tenham sofrido grandes alterações, o mercado recebeu negativamente o déficit primário de R$126,6 bilhões em maio.

O dado revelou os impactos do coronavírus na economia brasileira e os gastos que o governo central precisou realizar em caráter emergencial.

Mesmo assim, os números vieram melhores do que o esperado, tendo em vista que o Ministério da Economia calculava um declínio de R$140 bilhões.

Lá fora, a divisa americana também seguia trajetória de queda, perdendo terreno contra as principais moedas emergentes.

Digno de nota, esse movimento de alívio estava ancorado nas perspectivas recuperação da economia global, apesar de o número de casos de Covid-19 aumentar exponencialmente.

Inclusive, nos Estados Unidos, autoridades da Flórida, Texas, Califórnia e Arizona retomaram as medidas de isolamento social visando conter a propagação da doença.   

Ás 12h10 (horário de Brasília), o dólar comercial caía 0,15% contra o real, sendo cotado a R$5,4560 na venda.

Juros Futuros operam em leve queda seguindo baixa liquidez e diretriz cambial

Na renda fixa, os contratos de juros futuros anotavam leve queda nas taxas em todos os períodos, reagindo à baixa liquidez presente na sessão.

Ademais, o comportamento dos DIs reagia à diretriz cambial positiva e ao ambiente político menos tenso e mais inclinado à pacificação.

O DI novembro/2020 recuava 0,96%, sendo negociado a 2,06% (2,07% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2025 recuava 0,34% sendo vendido a 5,81% (5,82% no ajuste anterior).

Dólar recua de olho em indicadores locais e correção externa

Acompanhe as últimas movimentações do mercado financeiro:

Câmara vai votar projeto que libera R$ 160 bi de fundos constitucionais para caixa do governo

Mercados globais inauguram semana de olho em novos casos da Covid-19

Mercado confia em retomada da consolidação fiscal no próximo triênio


Sobre o autor