Dólar e índice

Dólar opera em queda com exterior e falas de Paulo Guedes

Por Fast Trade
27 abril 2020 - 11:33 | Atualizado em 27 abril 2020 - 12:47
Dólar (DOLFUT)

O dólar comercial opera em queda nesta segunda-feira (27), reagindo ao alívio no exterior e às falas de Paulo Guedes, durante um pronunciamento no Palácio da Alvorada.

O ministro da Economia, em conjunto com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, enfatizou a importância das reformas estruturais e da responsabilidade fiscal.

Além disso, Guedes ressaltou a importância da manutenção do teto de gastos e reiterou seu compromisso com o governo e o ajuste nas contas públicas.

Essa postura de integração afastou as preocupações dos investidores quanto a uma eventual saída do ministro, o que traria ainda mais turbulência e volatilidade.

Isso porque, câmbio interno desviou do cenário internacional, sendo fortemente abalado pelo pedido de demissão do ministro da Justiça, Sérgio Moro, na última sexta-feira.

Ademais, o enfraquecimento da divisa americana contra o real nesta sessão se acentuou após o Banco Central injetar US$600 milhões no mercado à vista.

Enquanto isso, no exterior, a sessão é de otimismo frente à possibilidade de reabertura da economia em diversos países na Europa.

Da mesma forma, nos Estados Unidos, os estados nos quais o surto do coronavírus está parcialmente controlado, vão retomar gradualmente as atividades.

Ás 11h32 (horário de Brasília), o dólar comercial caía 0,42% contra o real, sendo cotado a R$5,6330 na venda.

Juros Futuros

Na renda fixa, os contratos de juros futuros operavam mistos, anotando queda nos vértices curtos e alta nas taxas mais longas.

Isso porque, os agentes reagiam às projeções de declínio no Produto Interno Bruto (PIB) em 3,34% ao final de 2020, segundo boletim Focus.

O DI outubro/2020 caía 5,14% sendo negociado a 2,95% (3,13% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2027 avançava 0,25% sendo vendido a 8,14% (8,59% no ajuste anterior).

Dólar opera em queda com exterior e falas de Paulo Guedes

Acompanhe as movimentações do mercado financeiro:

BA: Boeing protege liquidez com fim de fusão com a Embraer, que deve sofrer, dizem analistas

S&P 500: Nesta semana, 34% das empresas do S&P500 soltam balanços trimestrais

Índices globais sobem com reabertura dos mercados no radar

Fabricantes de aviões encerram negociações e Embraer acusa Boeing de quebra contratual


Sobre o autor