Dólar e índice

Dólar inaugura semana em queda, após o feriado, com Orçamento no radar

Por Fast Trade
05 abril 2021 - 12:00 | Atualizado em 05 abril 2021 - 13:00
DOLFUT: Após forte alívio, dólar sobe com tensão externa em dia de compromissadas, decisão do vídeo; Kanczuk no radar

O dólar comercial inaugurou a semana em queda. Às 11h57, a divisa recuava 0,97% e era negociada a R$ 5,66. Em suma, a moeda reflete as notícias de que o governo federal teria chegado a um consenso com o Congresso sobre o Orçamento 2021.

+ Derivativos: o guia definitivo para começar a investir

A necessidade de mudanças na matéria, já aprovada na Câmara dos Deputados e no Senado, segue em pauta. O prazo para sanção presidencial é até o próximo dia 22 de abril.

Conforme uma fonte disse à Reuters, as tratativas sobre os ajustes no Orçamento devem durar mais alguns dias. No entanto, a expectativa é que “só com muita sorte” as mudanças necessárias sejam concluídas até o fim da próxima semana.

Por outro lado, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, acredita que a incerteza fiscal deve aumentar em função do Orçamento 2021. Ele ainda reforçou que a autoridade monetária está preocupada com as contas públicas.

Assim sendo, é possível que o dólar e o Ibovespa mantenham o assunto como driver nos próximos dias. Mais tarde, o ministro da Economia, Paulo Guedes, participará de um evento virtual promovido pela XP, a partir de 15h30.

A participação do economista é aguardada pelo mercado, que também avalia as falas de Campos Neto ao jornal “O Estado de S. Paulo”. Ao mesmo tempo, a baixa do dólar segue alinhada à tendência no exterior, fato que pressiona também os juros futuros.

Payroll é driver para dólar, que pressiona os juros

Por outro lado, os ativos financeiros globais ainda repercutem o forte payroll norte-americano em março. O dado foi divulgado na sexta-feira (2) e ainda não havia refletido no pregão por ter sido feriado no Brasil, Estados Unidos e na Europa.

+ E-book: Desvendando o swing trade: tudo o que você precisa saber!

O importante relatório de emprego mostrou geração de 916 mil postos de trabalho em março, número que sugere que os EUA se mantêm na trajetória de recuperação após o impacto da pandemia.

Por fim, as taxas de depósito interfinanceiro (DI) recuam, acompanhando o dólar. No Brasil, o recrudescimento da pandemia segue como pano de fundo de cautela, de acordo com operadores do mercado.

Às 11h44, o DI para janeiro de 2027 estava em 8,75%, de 8,87% no fechamento anterior, ao passo que o DI para janeiro de 2023 marcava 6,48%, de 6,59%.

Antes de mais nada, leia também:

Novas renúncias no Banco do Brasil devem repercutir nas ações do banco


Sobre o autor