Dólar e índiceHome

Dólar fecha a R$4,48 concluindo 8ª alta consecutiva

Por Pablo Vinicius Souza
28 fevereiro 2020 - 18:57

O dólar comercial subiu 0,09% nesta sexta-feira (28), fechando na cotação de R$4,4810 na venda, após renovar o recorde intradiário ao bater em R$4,5130.

Este é o maior valor nominal de encerramento desde a criação do Plano Real e é o oitavo dia consecutivo de apreciação da divisa americana contra a moeda brasileira.

A tendência de alta do dólar no câmbio local se manteve durante ao longo de toda a semana, registrando avanço de 2,01%, e também no mês, alcançando uma valorização de 6,86%.

O clima de aversão ao risco se acentuou após as notícias mostrarem que o coronavírus se propagou por cinco dos seis continentes existentes no mundo.

Além disso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) emitiu um alerta, classificando a epidemia como ameaça internacional muito alta, acentuando as preocupações.

Em relação aos demais pares emergentes, o real apresentou um comportamento limitado, devido à atuação do Banco Central.

Na sessão de hoje, a autoridade monetária injetou cerca de US$1 bilhão em contratos de swap cambial e rolou US$3 bilhões em recursos à vista por meio do leilão de linha com compromisso de recompra.

Embora seja incomum, tal ação demonstrou que o BC poderá adotar uma postura mais firme para com o mercado, tendo em vista que a divisa brasileira já está sendo negociada nos menores níveis da história.

Juros Futuros

Na renda fixa, os contratos de juros futuros encerraram nas mínimas, com as taxas de curto prazo refletindo a visão de que estímulos adicionais serão necessários para reaquecer a atividade global.

Os DIs intermediários anotaram forte declínio após o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, afirmar que a instituição atuará para apoiar a economia norte-americana, sugerindo possível corte na taxa de juros.

O DI outubro/2020 caiu para 4% (4,12% no ajuste anterior), o DI janeiro/2025 declinou para 6,03% (6,12% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2027 desceu para 6,53% (6,57% no ajuste anterior).


Sobre o autor