Dólar e índiceHome

Dólar dispara fechando a R$4,57 em novo recorde nominal

Por Fast Trade
04 março 2020 - 19:10

O dólar comercial disparou 1,51% nesta quarta-feira (04), fechando na cotação de R$4,5790 na venda, um novo recorde nominal.

Na máxima do dia, a divisa americana alcançou o valor de R$4,5830, renovando também a máxima intradiária contra o real, que segue em trajetória de firme queda.

O fortalecimento da moeda dos EUA aconteceu, sobretudo, em relação às divisas emergentes, após a divulgação de indicadores econômicos mais fortes no país.

Internamente, o real foi fortemente pressionado pelas perspectivas de corte na taxa Selic, que poderá reduzir ainda mais o diferencial de juros entre o Brasil e os Estados Unidos, retirando a atratividade do câmbio local.

Caso se concretize a nova rodada de flexibilização monetária, é provável que o juro real se torne negativo, penalizando o país no que tange à investimentos estrangeiros.

Outro fator negativo foi a revisão dos números do Produto Interno Bruto (PIB), que não vieram bons em 2019 e tendem a piorar sob o impacto das turbulências internacionais.

Na visão dos analistas, embora o crescimento tenha ficado no intervalo previsto pelo mercado, houve queda na formação bruta de capital fixo, demonstrando o forte declínio na estrutura-base do crescimento, que é o investimento.

Juros Futuros

Na renda fixa, os contratos de juros futuros encerraram em queda nas taxas em todos os períodos, refletindo o fortalecimento do câmbio no exterior e a precificação de um corte adicional na Selic.

O movimento de retirada do prêmio de risco foi ainda mais intenso nos DIs de curto prazo e intermediários, com os investidores promovendo ajustes em atenção à ação conjunta dos Bancos Centrais.

O DI novembro/2020 caiu para 3,73% (3,84% no ajuste anterior), o DI janeiro/2025 declinou para 5,79% (5,84% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2027 desceu para 6,35% (6,38% no ajuste anterior).


Sobre o autor